Postado em 04 de fevereiro, por NOMAD

Investimentos

Blockchain: o segredo do sucesso das criptomoedas

Na última década, presenciamos a ascensão das criptomoedas, um grupo revolucionário de ativos financeiros. No entanto, a tecnologia blockchain pode ser descrita como a verdadeira base dessa revolução no sistema financeiro. 

Isso porque a blockchain é o sistema tecnológico que sustenta e dá segurança às transações realizadas com criptomoedas. É, portanto, a inovação que está por trás do Bitcoin e das demais moedas digitais.

Neste artigo, vamos mostrar como funciona a tecnologia blockchain, porque ela é revolucionária e onde pode ser utilizada. Confira!

O que é blockchain?

A blockchain (no contexto de criptomoedas) é uma espécie de banco de dados compartilhado, que viabiliza o registro de transações e o rastreamento de ativos em uma rede descentralizada (ponto a ponto). 

Em outras palavras, é um enorme livro descentralizado de registro digital de transações. Por exemplo, no caso da rede do Bitcoin, a blockchain registra informações como: 

  1. a quantidade de bitcoins transacionada;
  2. quem enviou e quem recebeu;
  3. quando essa transação foi feita;
  4. em qual lugar do livro ela está registrada. 

Isso mostra que a transparência é um dos principais atributos da blockchain. Como a rede é descentralizada e, portanto, não há uma autoridade central que acompanhe as transações, elas são registradas e validadas uma a uma, por um grupo de pessoas que usam seus computadores para gravá-las no chamado blockchain.

Para ficar mais simples o entendimento do que é a blockchain, professores do Blockchain-Council criaram a analogia do livro, ilustrada a seguir.

Blockchain: analogia do livro

Como foi criada a blockchain?

A blockchain nasceu junto com a idealização do Bitcoin, em 31 de outubro de 2008, no white paper Bitcoin: A Peer-to-Peer Electronic Cash System , escrito por Satoshi Nakamoto (pseudônimo da pessoa – ou pessoas – por trás da criação da criptomoeda).

Vale ressaltar que Nakamoto não usa, exatamente, a palavra blockchain no documento. Ao longo das nove páginas do paper, encontramos apenas os termos block e chain separados. 

Mas, ao longo do tempo, com a utilização em outras redes de criptomoedas e para outras finalidades, o mercado adotou o termo para a tecnologia. 

Assim, antes do Bitcoin não existiam registros de casos de uso para a tecnologia. O BTC foi a primeira grande aplicação da blockchain. No entanto, vale destacar que, desde 1991, já existiam discussões sobre a tecnologia de registro distribuído (DLT, na sigla em inglês); considerada precursora da blockchain que é, inclusive, citada por Nakamoto.

Como funciona a blockchain?

Blockchain significa, em tradução livre, “corrente de blocos”. Para imaginar como a rede descentralizada dessa corrente funciona, pense nela como um grande livro-razão virtual rodando em diversos computadores espalhados pelo mundo, todos trabalhando ao mesmo tempo.

Assim, por exemplo, quando o usuário A envia um Bitcoin para o B, essa transferência fica registrada na blockchain dentro de um bloco de informação. 

Quando esse bloco é totalmente preenchido de transações, ele é “selado” e ganha uma espécie de carimbo com data e hora, chamado de timestamp. Depois, ele é “empacotado” com um identificador, chamado de hash

Para visualizar essa estrutura, imagine um quadrado cheio de números e letras aleatórias, conforme a imagem abaixo.

Tecnologia blockchain

Já o formato de corrente (“chain”) ocorre da seguinte forma: o usuário B, assim que recebe o Bitcoin, passa metade do valor da criptomoeda para C, e essa transferência foi colocada em um novo bloco criado na sequência do anterior. 

Esse bloco também vai receber um identificador próprio, mas com um detalhe: ele tem uma “parte” daquele que foi gerado anteriormente na transação entre A e B.

Assim, todo novo bloco criado na blockchain guarda uma informação do anterior, formando uma longa cadeia interligada de blocos. Para imaginar essa estrutura, dessa vez, pense em vários quadrados – preenchidos com data, hora, números e letras – conectados um ao outro:

Blokchain

Mineradores

Na rede blockchain existem ainda os mineradores, cuja função é validar as transações dos usuários. Para autenticá-las, eles precisam “competir” um com o outro para resolver problemas matemáticos complexos. 

Depois que finalizam o cálculo, eles apresentam o resultado para toda a rede e, se os outros membros confirmarem que está correto, o novo bloco é adicionado à cadeia. E, então, inicia-se uma nova competição pela verificação do bloco seguinte e assim por diante.

Vale ressaltar que, como remuneração pelos serviços de validação e manutenção da segurança da rede, os mineradores recebem Bitcoins como recompensa. Tudo isso é coordenado pelo algoritmo da plataforma.

Blockchain

A blockchain é segura?

Em geral, por se tratar de uma rede descentralizada, a segurança dessa tecnologia varia de acordo com a sua capacidade computacional, também conhecida como força computacional

Em outras palavras, quanto maior o volume de computadores e servidores conectados à rede e quanto mais distribuída ela for, mais a blockchain é confiável. Isto porque, dessa forma, você tem um número maior de nós (nodes, em inglês), o que torna muito mais difícil violar a sequência de blocos registrados.

Por exemplo: a blockchain do Bitcoin, como vimos, é formada por blocos, e cada um precisa estar conectado com o anterior, formando uma espécie de corrente. 

Esse mecanismo impede que hackers façam alterações na rede e modifiquem o conteúdo de um bloco, pois uma mudança em qualquer um dos pontos implicaria na alteração de todos outros e a operação não seria validada pelos demais participantes.

Vale ressaltar que cada um dos participantes da rede tem a sua própria cópia integral do banco de dados (livro) da rede Blockchain e a validação de uma operação necessita do consenso da rede.

Exemplos de uso da blockchain

A blockchain é uma tecnologia inovadora que permite criar, registrar e acompanhar, de forma rápida, segura e transparente a transação de vários tipos de ativos. 

Além das criptomoedas, a tecnologia também pode ser usada para validar de forma digital e segura todo tipo de informação como, por exemplo, diplomas e certificados de conclusão de cursos, assinaturas de contratos, dentre outros documentos importantes. 

Vale citar que, algum tempo depois do surgimento da blockchain, foram criados os smart contracts.

Esses contratos podem ser explicados como programas guardados na blockchain, que se executam conforme regras pré-estabelecidas e sem o envolvimento de um intermediário que os controle.

Fontes: NAKAMOTO, Satoshi. Bitcoin: A Peer-to-Peer Electronic Cash System; BLOCKCHAIN-COUNCIL. Blockchain For Beginners; BLOCKCHAIN.MIT.EDU (MIT). How Blockchain works.


Serviços intermediados por FRAM Capital DTVM S.A.

O conteúdo disponibilizado neste artigo não constitui ou deve ser considerado como conselho, recomendação, oferta ou solicitação de quaisquer produtos ou serviços pela Nomad. Este material tem caráter exclusivamente informativo. Para saber mais, acesse https://nomadglobal.com/legal/


CONHEÇA NOSSAS MÍDIAS SOCIAIS


© 2022 NOMAD. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

Juntos com a Nomad

Synapse Drive Wealth logo ourinvest logo fram capital