Postado em 22 de junho, por NOMAD

Investimentos

O que é economia verde e como esse conceito impacta os investimentos?

O conceito de sustentabilidade apareceu na sociedade por volta da década de 1980 e, desde então, ganhou força nos debates da sociedade. A partir dessas discussões, surgiu a economia verde. Ela propõe um novo modelo econômico que consiga atender às necessidades ambientais.

A partir desse tema, também é possível notar impactos que se estendem ao mercado financeiro. Logo, existe a oportunidade de considerar a economia verde na hora de compor a sua carteira de investimentos.

Quer entender como a sustentabilidade influencia o mercado financeiro? Continue a leitura e saiba mais sobre a economia verde!

O que é a economia verde?

A economia verde — também conhecida como green economy — é um conceito relacionado ao meio ambiente. Na prática, o objetivo dela é diminuir os impactos da atividade econômica sobre os recursos ambientais e ecológicos.

Portanto, a economia verde é composta por um conjunto de práticas e princípios que orientam a busca por um desenvolvimento mais sustentável. A ideia não é suprimir o desenvolvimento econômico e, sim, adaptá-lo a uma interação mais consciente com o meio ambiente e seus recursos.

Quais as principais características da economia verde?

Agora que você entende o conceito de economia verde, é importante saber quais são as particularidades que ela apresenta. Nesse sentido, são cinco princípios que norteiam as decisões e atividades desempenhadas na economia verde.

A seguir, entenda quais são essas características e descubra como elas funcionam!

Foco no bem-estar

A economia verde é centrada nas pessoas e focada no desenvolvimento para alcance do bem-estar individual. Ainda, é importante a realização de investimentos para que as pessoas tenham acesso a empregos e oportunidades de desenvolvimento.

Justiça social

Outro princípio da economia verde está relacionado à justiça social e equidade. A ideia é viabilizar oportunidades para todos, com a participação coletiva e ampla.

Esse pilar foca, ainda, na distribuição justa de chances de crescimento entre as pessoas. Ao mesmo tempo, a economia verde define medidas de correção para proteger as gerações futuras.

Proteção ambiental

Em relação ao meio ambiente, a economia verde se compromete a cuidar, restaurar e investir na natureza. Para tanto, o foco está em respeitar os limites ambientais, evitando a exploração excessiva ou um volume grande de impactos no meio ambiente.

Ao mesmo tempo, ela prevê o investimento na proteção de recursos e sistemas naturais. Ainda, a economia foca no baixo carbono, de modo a diminuir a pegada ambiental.

Eficiência de produção e consumo

Em contraponto à economia voltada ao consumismo em constante aumento, a economia verde prioriza a suficiência e a eficiência de produção. O objetivo, portanto, é estabelecer processos sustentáveis, focados nos limites do planeta e dos recursos naturais.

Nesse sentido, a economia circular ganha força. Então o reaproveitamento de itens e materiais está entre as ações propostas pelo conceito de economia verde.

Transparência e integração

Do ponto de vista das instituições — desde as empresas privadas até os Governos —, é importante que haja integração e transparência. Nesse caso, a economia verde prevê uma atuação com mais governança e alinhamento, o que inclui a participação da sociedade.

A tomada de decisão, por sua vez, deve ocorrer com base em evidências científicas. Assim, é possível servir aos interesses da sociedade de maneira sustentável.

Como esse conceito impacta os investimentos?

Como você viu, a economia verde está relacionada à sustentabilidade e tem diversos pilares relevantes. Considerando que o tema tem ganhado mais atenção por parte da sociedade, ele também se relaciona ao mercado financeiro.

Isso porque a economia verde fomenta o surgimento e a escolha dos investimentos sustentáveis. No caso, eles são ativos e veículos financeiros voltados para o aporte em iniciativas relacionadas aos critérios de sustentabilidade.

Portanto, se você quiser investir na economia verde, é possível apoiar projetos e iniciativas sustentáveis desde já. Desse modo, você passa a investir com propósito, estando orientado a outros resultados além da rentabilidade, por exemplo.

Como montar uma carteira sustentável?

Sabendo como a economia verde se relaciona com o mercado financeiro, vale a pena pensar em como realizar esses investimentos. Dessa forma, você poderá compor um portfólio mais sustentável e que o ajude a incorporar essa característica em suas finanças.

Na sequência, descubra dicas para ter uma carteira sustentável!

Entenda seu perfil e seus objetivos

Antes de fazer qualquer escolha de investimento, é essencial considerar duas características: o seu perfil de investidor e os seus objetivos financeiros. O perfil de investidor indica o seu nível de tolerância ao risco e varia entre conservador, moderado ou arrojado.

Já os objetivos financeiros indicam o que você espera atingir com os investimentos. Além de entender a necessidade de priorizar rentabilidade, liquidez ou segurança, você deve definir se pretende alcançar resultados no curto, médio ou longo prazo.

Conheça os investimentos ESG

Após identificar suas características, é necessário conhecer a metodologia ESG. Ela está relacionada aos investimentos sustentáveis e foca em oportunidades que atendam a três critérios:

  • E: environment ou meio ambiente;
  • S: social;
  • G: governance ou governança.

Logo, esses critérios servem para acompanhar os níveis de sustentabilidade corporativa de uma empresa ou de um fundo de investimentos. Ao usá-los como orientação, você poderá escolher as alternativas que atendem melhor aos critérios.

Ao optar por um fundo multimercado, por exemplo, você pode priorizar aquele que tem uma estratégia verde. Assim, é possível se adequar ao conceito ESG e tornar sua carteira mais sustentável.

Existem, ainda, outras possibilidades de investimentos ESG. Por exemplo, títulos públicos e privados e oportunidades de renda variável — como ações, fundos de índice (ETFs) e outros fundos.

Considere investir no exterior

Além de focar nos investimentos ESG, é preciso diversificar a carteira em alternativas da economia verde. Para isso, você pode considerar o investimento no exterior. Essa é, inclusive, uma forma de participar de um mercado sustentável mais desenvolvido e menos limitado.

Afinal, nos Estados Unidos, que tem o maior e mais consolidado mercado de capitais do mundo, não faltam oportunidades sustentáveis e investimentos verdes. Ainda, você pode investir tanto na renda variável quanto na renda fixa, já que os EUA também têm os títulos verdes de dívidas — ou green bonds.

Logo, ao abrir uma conta em dólar e operar nos Estados Unidos, é possível acessar um amplo leque de opções sustentáveis para a sua carteira. Como consequência, você tem a chance de compor um portfólio mais robusto e dolarizar parte do seu capital.

Neste artigo, você entendeu o que é a economia verde e como ela impacta o mercado financeiro. A partir desse conhecimento, será mais fácil realizar investimentos que sejam focados na sustentabilidade e no aporte com propósito — se fizer sentido para sua estratégia.


Serviços intermediados por FRAM Capital DTVM S.A.

O conteúdo disponibilizado neste artigo não constitui ou deve ser considerado como conselho, recomendação, oferta ou solicitação de quaisquer produtos ou serviços pela Nomad. Este material tem caráter exclusivamente informativo. Para saber mais, acesse https://nomadglobal.com/legal/


CONHEÇA NOSSAS MÍDIAS SOCIAIS


© 2022 NOMAD. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

Juntos com a Nomad

Synapse Drive Wealth logo ourinvest logo fram capital