Postado em 18 de abril, por NOMAD

Investimentos

Growth investing: a estratégia de aumento de capital

Encontrar uma ação que possa multiplicar seu valor algumas vezes: esse é o objetivo do growth investing. Apesar de não ser muito difundida entre os investidores de varejo, a estratégia é adotada por grandes personalidades no mercado financeiro.

Mas, muito embora a estratégia de growth investing possa potencializar o aumento do seu capital, ela também apresenta um risco maior, Isso porque investe em empresas que ainda não estão consolidadas em seus respectivos setores. 

Neste artigo, vamos explicar um pouco mais sobre essa estratégia e como você pode descobrir ações que podem aumentar seu capital. Confira, a seguir!

O que é growth investing?

Growth investing – ou, em tradução livre, investimento em crescimento – é uma estratégia de investimento focada, especialmente, em aumentar de forma exponencial o capital de um investidor. 

Os growth investors, como são conhecidos os adeptos dessa estratégia, normalmente investem em ações de crescimento, também conhecidas como growth stocks. Isto é, aportam empresas jovens ou pequenas, cujos lucros devem aumentar a uma taxa acima da média em comparação com seu setor ou com o mercado, de modo geral. 

Essa estratégia é considerada extremamente atraente por muitos investidores, já que a compra de ações de empresas de growth pode oferecer retornos expressivos; desde que sejam bem-sucedidas.

No entanto, como essas empresas ainda não foram testadas ao longo tempo e estão em um estágio inicial, geralmente, representam um risco mais elevado do que as empresas consolidadas no mercado.

Como funciona o growth investing?

Os investidores que utilizam a estratégia growth investing normalmente procuram investimentos em indústrias em rápida expansão (ou mesmo mercados inteiros). Isto é: procuram oportunidades onde novas tecnologias e serviços estejam sendo desenvolvidos. 

O growth investor busca lucros por meio da valorização do capital (ou seja, os ganhos que obterá quando vender suas ações), diferentemente do tradicional lucro por recebimento de dividendos. 

Na verdade, a maioria das empresas de ações de crescimento reinvestem seus ganhos no negócio, ao invés de pagar dividendos a seus acionistas.

Essas empresas em crescimento podem ser pequenas, jovens e com excelente potencial. Elas podem, ainda, ser empresas que acabaram de fazer o seu IPO (Initial Public Offering), passando a ter ações negociadas em Bolsa. 

A ideia central da estratégia é que a empresa prospere e cresça, aumentando receitas, lucros e número de clientes. Consequentemente, isso acaba se traduzindo na valorização substancial do preço das ações no futuro. 

Como escolher growth stocks?

Na estratégia de growth investing, o foco está no potencial de crescimento de uma empresa ou mercado. Diferente, por exemplo, da estratégia value investing, que busca empresas negociadas abaixo do seu valor justo.

Assim, vale dizer que não existe uma fórmula absoluta para avaliar esse potencial, uma vez que essa avaliação requer um grau de interpretação individual. Geralmente, essa avaliação é baseada em fatores objetivos e subjetivos, além de certa experiência em avaliar empresas desse tipo. 

No entanto, em geral, os investidores que utilizam essa estratégia consideram cinco premissas ao selecionar empresas que podem proporcionar valorização do capital.

1. Histórico de crescimento de lucros

A ideia básica é que, se a empresa apresentou um bom crescimento no passado recente, é mais provável que continue fazendo no futuro. Em geral, o crescimento mínimo do lucro por ação (Earnings per ShareEPS) depende do tamanho da empresa. 

Por exemplo, você pode procurar um crescimento de pelo menos 5% para empresas maiores que US$ 4 bilhões, 7% para empresas de US$ 400 milhões a US$ 4 bilhões e 12% para empresas menores com menos de US$ 400 milhões. 

2. Forte previsão de ganhos futuros

A previsão de ganhos futuros é uma declaração pública oficial da expectativa de lucratividade de uma empresa por um período específico; normalmente um trimestre ou um ano. 

Esses anúncios são feitos em datas específicas durante a temporada de resultados e são precedidos por estimativas de resultados emitidas por analistas de ações. 

São nessas estimativas em que os growth investors prestam muita atenção enquanto tentam determinar quais empresas provavelmente crescerão a taxas acima da média em comparação com o setor.

3. Margens de lucro relevantes

Essa é uma métrica importante a ser considerada, porque uma empresa pode ter um crescimento fantástico nas vendas sem que isso tenha repercussão nos lucros; o que pode indicar que a administração não está controlando corretamente os custos. 

Em geral, se uma empresa exceder sua média anterior de cinco anos de margem de lucro antes dos impostos, bem como as margens médias de seu setor, ela pode ser uma boa candidata ao crescimento.

4. Retorno sobre o patrimônio (Return on Equity – ROE)

O retorno sobre o patrimônio líquido (ROE) de uma empresa mede o quanto de retorno ela gera com o dinheiro investido pelos acionistas. É calculado dividindo o lucro líquido pelo patrimônio líquido. 

Uma boa regra é comparar o ROE atual de uma empresa com o ROE médio de cinco anos da empresa e do setor. Um ROE estável ou crescente indica que a administração está fazendo um bom trabalho, gerando retornos dos investimentos dos acionistas e operando o negócio com eficiência.

5. Histórico de desempenho de preços das ações

Em geral, se o preço de uma ação não pode dobrar de forma realista em cinco anos, provavelmente não é boa candidata a uma ação de crescimento. Vale lembrar que para dobrar de valor em cinco anos, a taxa de crescimento deve ser de 15% – algo que certamente é viável para empresas jovens em setores em rápida expansão.

Investidores famosos que usam o growth investing

Talvez o nome notável entre os growth investors seja Peter Lynch, gestor do lendário Fundo Magellan da Fidelity Investments. Ele foi pioneiro em um modelo híbrido de crescimento e investimento em valor, que agora é comumente referido como estratégia de “crescimento a um preço razoável” (Growth at a Reasonable Price GARP).

Por último e não menos importante, temos ainda Thomas Rowe Price Jr., conhecido como o pai dessa estratégia de investimentos. Em 1950, ele criou o T. Rowe Price Growth Stock Fund, o primeiro fundo mútuo a ser oferecido por sua empresa de consultoria, a T. Rowe Price Associates. Este fundo teve um crescimento médio de 15% ao ano durante 22 anos. 

Agora que você conhece um pouco mais sobre growth investing, que tal se aprofundar no tema e começar estudar se aquela empresa em crescimento pode ser considerada uma boa oportunidade de investimento de acordo com essa estratégia?


Serviços intermediados por FRAM Capital DTVM S.A.

O conteúdo disponibilizado neste artigo não constitui ou deve ser considerado como conselho, recomendação, oferta ou solicitação de quaisquer produtos ou serviços pela Nomad. Este material tem caráter exclusivamente informativo. Para saber mais, acesse https://nomadglobal.com/legal/


CONHEÇA NOSSAS MÍDIAS SOCIAIS


© 2022 NOMAD. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

Juntos com a Nomad

Synapse Drive Wealth logo ourinvest logo fram capital