Postado em 03 de fevereiro, por NOMAD

Viagens

Guia completo de viagem para os Estados Unidos

Os quase dois anos de pandemia deixaram o brasileiro com saudade de viajar. As pesquisas confirmam a euforia entre os viajantes: 70% dos brasileiros já decidiram que vão viajar na primeira oportunidade que aparecer, segundo o Boston Consulting Group (BCG). Falando em destinos, a viagem para os Estados Unidos é uma das mais almejadas.

De acordo com o Relatório de Setores do E-commerce, os destinos internacionais mais procurados tem sido justamente Europa, com 26%, e Estados Unidos, com 16%.

Em resposta a essa tendência, os destinos e atrações de diferentes estados americanos aumentaram o investimento em novidades e operadoras de viagem têm apostado em diferentes pacotes. O setor de turismo já mostrou que vem em peso com promoções e roteiros para brasileiros que estão com malas prontas para fazer uma viagem para os Estados Unidos.

Em meio a tanta euforia em visitar os States depois de tantos meses em isolamento social, é normal se sentir perdido em relação ao checklist da viagem. Como renovo o meu visto? Quais são as novas regras de testagem em relação à Covid-19? Qual o tamanho permitido de bagagem?

Respondemos essas e outras dúvidas muito comuns para quem está planejando uma viagem para os Estados Unidos neste guia atualizado. Assim, fica mais fácil ter uma viagem tranquila e de sucesso. Confira!

Como se preparar para uma viagem para os Estados Unidos?

Para quem quer fazer uma viagem para os Estados Unidos, em especial nesse momento de pandemia, é importante estar em dia com alguns documentos. O passaporte, visto e comprovante de vacinação, por exemplo, são itens obrigatórios.

Além destes, você deve ter em mãos a passagem aérea e a reserva do hotel. Além de, claro, ter feito a compra do dólar

Melhores destinos para viajar para os Estados Unidos em 2022

Os Estados Unidos é um país que oferece excelentes atrações em todo o seu território, atendendo aos mais diversos estilos de viajantes. Seja para quem deseja curtir as praias, aprender mais sobre a história local, conhecer monumentos famosos ou simplesmente ir às compras. Basta escolher o local certo. 

Alguns destinos, no entanto, têm a combinação de vários desses fatores e são praticamente uma unanimidade quando pensamos nos melhores lugares para conhecer nos Estados Unidos

Pensando nisso, preparamos uma lista com os 5 melhores destinos para quem quer viajar para os Estados Unidos em 2022. Olha só:

  1. Nova York, Nova York

Não tem como pensar em Estados Unidos sem lembrar das ruas movimentadas e cheias de outdoors de Nova York. A cidade é a mais populosa do país e um dos destinos turísticos mais procurados do mundo. 

Além disso, é um lugar que costuma agradar a todos os gostos por conta da sua diversidade de culturas, pessoas, estilos e gastronomia.

  1. Washington, D.C.

Por ser a capital dos Estados Unidos, Washington é o lugar perfeito para quem quer se aprofundar na história do país, em especial quando o assunto é política. 

A cidade tem uma variedade enorme de atrações para você conhecer, mas os destaques estão nos monumentos e memoriais dedicados aos grandes líderes políticos norte-americanos.

  1. São Francisco, Califórnia

São Francisco é outra cidade dos Estados Unidos que surpreende qualquer um – a Golden Gate por si só já vale a visita. Suas paisagens repletas de colinas, casas vitorianas clássicas, prédios modernos no centro e atrações à beira da baía tornam o local muito apaixonante. 

  1. Palm Springs, Califórnia

Mais uma cidade californiana que não pode ficar de fora do seu roteiro de viagem para os Estados Unidos em 2022. Palm Springs é como um oásis em meio ao deserto, muito conhecida graças à presença frequente de artistas de Hollywood. A cidade é puro luxo e cultura.

  1. Nova Orleans, Louisiana

Nova Orleans é uma cidade que proporciona experiências únicas e marcantes em qualquer época do ano. Lá, você vai encontrar uma mistura de culturas, desde a americana à africana, caribenha e francesa. Os dias em Nova Orleans são repletos de festas e música, em especial o jazz.

Voos para os Estados Unidos: principais companhias aéreas

Passaporte, visto e vacinas em dia? Bom, agora você está oficialmente liberado para fazer a sua tão esperada viagem para os Estados Unidos. Os preparativos, entretanto, não param por aí. Ainda no seu checklist de planejamento, inclua a compra da passagem aérea e a reserva do hotel. 

A demanda por passagens aéreas tem sido bem alta desde que o governo americano anunciou a abertura de fronteiras para os brasileiros. Em setembro, as companhias aéreas brasileiras registraram uma alta superior a 300% na procura por voos para os Estados Unidos.

Para ter sucesso na sua viagem e não passar por imprevistos, aconselhamos que você pesquise sobre a companhia aérea, as exigências e os benefícios que ela oferece antes de adquirir o seu bilhete de embarque. 

Para te ajudar na busca, listamos as principais companhias aéreas que atuam com voos para os EUA: Latam, Gol e American Airlines. A rota mais popular é de São Paulo para Nova York, e a Japan Airlines, a Delta e a Latam voam com mais frequência nesta rota.

Lugares baratos para viajar nos Estados Unidos

Os custos de uma viagem internacional podem ser altos e, por isso, muitas pessoas acabam optando por opções menos óbvias de destinos (mas tão fascinantes quanto os tradicionais) em busca de uma economia maior na viagem. 

Se você está planejando uma viagem para os Estados Unidos gastando menos, confira essa lista de três lugares baratos (e incríveis!) para conhecer no país.

  1. Austin, Texas

A capital do Texas é uma excelente opção para viajantes que curtem um cenário eclético e agitado. A cidade conta com o campus principal da Universidade do Texas, por isso tem muitos jovens circulando por lá e que contribuem para uma cena artística e vida noturna intensas.

Além do lado badalado, Austin também é conhecida por seus diversos parques e lagos, locais que são muito procurados para trilhas, ciclismo, natação e passeios de barco. 

  1. Salt Lake City, Utah

Uma das mais belas cidades dos Estados Unidos, Salt Lake City (ou SLC), capital do Utah, guarda inúmeros encantos. Suas diversas formações rochosas e parques, como o Parque Nacional de Bryce Canyon e o Parque Nacional Zion, são paisagens únicas e marcantes.

  1. Filadélfia, Pensilvânia

Para quem quer se aprofundar na cultura e história americana durante a viagem para os Estados Unidos, visitar a Filadélfia é uma ótima opção. Além de ser um passeio mais em conta, já que não é um destino tão óbvio, a cidade reúne importantes passagens da história do país.

Escolhida como a primeira capital dos Estados Unidos, a Filadélfia possui uma série de museus e monumentos referentes ao processo de independência. Se você for para lá, não deixe de conhecer os pontos turísticos que celebram o 4 de julho, Dia da Independência norte-americana, como o Independence Hall e o Sino da Independência.

Dicas para encontrar hospedagem barata nos Estados Unidos

Assim como as passagens aéreas, separamos algumas dicas que você pode seguir para economizar na hospedagem nos Estados Unidos. Você pode, por exemplo, optar por hospedagens compartilhadas, como um hostel ou Airbnb, que são mais baratas do que alugar um quarto de hotel. 

Outra dica é utilizar os pontos do cartão de crédito para hospedagem, basta conferir as condições do seu programa de pontos. Além disso, você pode optar por uma hospedagem mais distante do centro turístico do seu destino, o que também barateia as diárias.

Não se esqueça de consultar se o local tem fácil acesso e se possui bons comentários na internet. Além disso, tenha certeza de que os dias e os horários da sua passagem e da sua hospedagem se alinham corretamente para não passar por apuros!

10 dicas para encontrar passagem mais barata para os Estados Unidos

Conforme citamos, a demanda por passagens para os Estados Unidos aumentou no Brasil e no mundo. Com a demanda em alta e a oferta ainda se ajustando, os preços de passagens e de hospedagem passaram por um aumento.

Por isso, para te ajudar a economizar na sua viagem para os Estados Unidos, separamos algumas dicas de como comprar passagens aéreas mais baratas:

  1. Evite viajar em datas de alta temporada, como no fim de ano;
  2. Compre passagens com milhas aéreas;
  3. Monitore o destino escolhido para aproveitar promoções de última hora;
  4. Prefira passagens aéreas para viajar de madrugada, que são mais baratas;
  5. Acione o “alerta de preços” dos sites de compra de passagens aéreas;
  6. Não compre com tanta antecedência;
  7. Compre as passagens com a antecedência de 1 a 4 meses da viagem, o período é suficiente para aproveitar preços melhores;
  8.  Acompanhe perfis e blogs de viagem;
  9. Tenha datas flexíveis para a viagem;
  10. Opte por voos com escala.

Como é o clima nos Estados Unidos

Especialmente para quem vai viajar para os Estados Unidos pela primeira vez, é comum surgir a dúvida de como é o clima no país. Será que neva muito no inverno? O verão é similar ao do Brasil? Chove em que época do ano?

Antes de tudo, é importante destacar que, do mesmo modo que no Brasil, a grande extensão dos Estados Unidos torna o clima muito variado. Enquanto o Alasca é uma região polar, por exemplo, a Flórida tem um clima subtropical.

No geral, a maior parte do país apresenta um clima temperado ou subtropical, com temperaturas que vão de -13 ºC no Alasca a mais de 40 ºC nas cidades desérticas de Nevada.

As estações do ano nos EUA se dividem da seguinte forma:

Verão: de junho a agosto

Outono: de setembro a novembro

Inverno: de dezembro a fevereiro

Primavera: de março a maio.

Para quem quer fugir das nevascas, vale evitar as regiões nordeste, centro-oeste e central do país. De resto, os verões costumam ser quentes em quase todo o país. 

3 destinos de inverno nos Estados Unidos 

O inverno nos Estados Unidos é uma época que atrai muitos turistas, em especial por conta das festividades de ano novo. Em muitas cidades, a paisagem coberta de neve e as temperaturas baixas tornam as experiências dos turistas ainda mais incríveis.

Além disso, muitas cidades americanas promovem festivais de inverno nesse período do ano, com diversas atrações envolvendo muita música, comida e competições. As cidades de Nova York, Aspen e Vail são alguns dos melhores destinos para quem é apaixonado pelo frio e quer ver neve.

Nova York

Os invernos em Nova York não deixam a desejar para quem é fã das baixas temperaturas. Por lá, você pode vivenciar de 10 a 15 ºC negativos. Se nevar por lá durante a sua viagem para os Estados Unidos, não deixe de visitar o Central Park. A paisagem não vai te decepcionar.

Outro grande atrativo da cidade no inverno é a patinação no gelo. São montados diversos rinques na cidade, alguns muito famosos, como o Wollman Rink. A pista fica no Central Park e já foi cenário de filmes como Serendipity e Esqueceram de Mim 2.

Além disso, você vai encontrar uma decoração de Natal deslumbrante, assim como diversas feiras e mercados natalinos para comprar presentes. Alguns exemplos são o Union Square Holiday Market e Winter Village no Bryant Park. 

Aspen

A cidade de Aspen, no Colorado, é um dos destinos mais famosos do mundo para ski e snowboard. Para quem é fã de esportes na neve, lá é o lugar! 

Outra atração da cidade são as paisagens deslumbrantes no topo da Aspen Mountain. Se não for esquiar, você pode chegar até lá por meio de uma gôndola na base da montanha. Lá no topo, você ainda pode almoçar no restaurante Sundeck, muito famoso na região.

Vail

Outro destino de inverno no Colorado que você deve conhecer é a cidade de Vail. As pistas de ski atraem turistas de muitas partes do mundo, assim como as pistas de patinação no gelo. 

Vail ainda conta com bares de gelo e muitas vielas com lojas, restaurantes, além dos eventos culturais.

3 parques dos Estados Unidos para visitar na primavera

Nos Estados Unidos, a primavera surpreende e encanta turistas com um show de cores que começa em maio e vai até junho. Durante esse período, diversos parques espalhados pelo país se tornam grandes atrações para quem quer ver paisagens estonteantes.

E não tem como falar de parques e primavera sem citar o Epcot, em Orlando; o Antelope Valley, na Califórnia; e o Acadia, no Maine.

Epcot

O parque Epcot, da Disney, sedia um evento único na primavera, que é o Epcot International Flower & Garden Festival. De março a julho, o parque ganha jardins maravilhosos, exposições exclusivas e esculturas de personagens da Disney.

Antelope Valley

O Antelope Valley é o melhor lugar para admirar a flor típica da Califórnia, a Papoula-da-Califórnia, em seu ambiente natural.

O parque ganha um belo tapete de flores laranja a cada primavera, assim como plantas variadas. O local ainda tem diversos pontos de descanso para quem quer contemplar a paisagem e, quem sabe, detectar animais selvagens, como cotovias do prado, lagartos e coiotes.

Acadia

O Acadia é um parque litorâneo imperdível no Maine. A paisagem da costa e seus faróis são imperdíveis. Você ainda consegue realizar trilhas que cruzam florestas, vales, contornam montanhas ou acompanham a linha da costa.

3 melhores praias dos Estados Unidos para ir no verão

Com mais de 12 mil milhas de litoral, os Estados Unidos possuem mais de 6 mil praias em 30 estados litorâneos. 

São tantas as opções para o americano e para os turistas, que um professor do Laboratório de Pesquisa Costeira da Universidade Internacional da Flórida decidiu avaliar praias de todos os Estados Unidos. 

Desde 1991 o Dr. Beach ranqueia as 10 melhores praias do país. Separamos três delas para você conhecer na sua próxima viagem para os Estados Unidos.

1. Hapuna Beach State Park, Havaí

Não tinha como o Havaí ser um dos grandes destaques da lista. A ilha abriga a Hapuna Beach, uma das praias de areia branca mais extensas da região.

2. Coopers Beach, Southampton, Nova York

Em Coopers Beach, os turistas podem desfrutar da areia branca rodeada por uma bela paisagem natural e mansões históricas. Localizada na Dune Road, a praia tem instalações completas, incluindo balneário, aluguel de cadeiras e guarda-sóis.

3. Ocracoke Lifeguarded Beach, Outer Banks, Carolina do Norte

Mesmo na alta temporada, Ocracoke tem espaço para todos. A praia ainda conta com boas instalações, como amplo estacionamento, banheiros, chuveiros ao ar livre, bebedouros, uma rampa de acesso à praia para cadeirantes e um calçadão para a praia. 

3 coisas para fazer em Nova York no outono

Nova York é uma cidade versátil: tem atrações para todas as estações do ano. Já falamos como é Nova York no inverno, mas no outono a cidade também guarda grandes encantos.

Pensando nisso, separamos três coisas para fazer em Nova York em outono durante a sua viagem para os Estados Unidos. Confira!

Parada de Halloween

A Halloween Parade de Nova York é considerada a maior parada de dia das bruxas dos Estados Unidos. O evento acontece no dia 31 de outubro e é realizado na Spring Street com 6th Avenue, no bairro do Greenwich Village, com início previsto às 19h e término às 23h.

Feirinha de Smorgasburg

A feira de Smorgasburg se tornou uma das principais atividades gastronômicas em Nova York. O evento, que acontece aos sábados no bairro de Williamsburg e aos domingos no Prospect Park, conta com 100 barracas de comidas da culinária mundial.

Parques

Visitar os parques espalhados pela cidade é uma boa opção para o outono, quando o clima é mais ameno para caminhar e curtir a paisagem. Você pode alugar uma bicicleta no Central Park, por exemplo, e conhecer o local por meio das ciclovias.

Economize na viagem para os Estados Unidos com uma conta em dólar

Não tem como falar de viagem para os Estados Unidos sem dar dicas de como economizar na compra do dólar. Para quem quer sair na frente e ter mais praticidade, abrir uma conta corrente em dólar é a melhor opção. 

A conta global funciona de uma maneira similar à conta corrente que você já tem no Brasil. A diferença é que, com ela, você consegue comprar e transferir dólar com mais facilidade, aproveitando as melhores taxas do mercado.

Outro diferencial é que abrir uma conta em dólar é muito simples. Você consegue fazer esse processo através dos bancos digitais, como a Nomad. O nosso aplicativo permite que você abra uma conta em dólar nos Estados Unidos e compre a moeda americana pela própria plataforma. 

Na Nomad, o processo funciona exatamente dessa forma: você abre uma conta, sem pagar nenhuma taxa de abertura ou manutenção, e realiza câmbio pelo aplicativo. Outra facilidade é que você consegue consultar a cotação da moeda em tempo real, assim como ter acesso à cotação do dólar comercial, mais barato que a do turismo. 

Além de te ajudar a economizar na sua viagem para os Estados Unidos, a conta global é mais prática e segura do que levar grandes quantias de dinheiro em espécie. 

3 vantagens de comprar com cartão de débito nos Estados Unidos

Outra vantagem da conta em dólar é que, com ela, você consegue pagar por suas compras internacionais com um cartão de débito. Na Nomad, esse cartão não tem taxa de ativação ou manutenção, e você ainda pode escolher entre utilizar o cartão digital ou físico, o que torna as suas transações ainda mais práticas. 

Confira, a seguir, outras 3 vantagens de comprar com cartão de débito na sua viagem para os Estados Unidos:

  1. Melhores taxas

Com o cartão de débito, você economiza mais em compras no exterior em comparação com o cartão de crédito. Isso porque as taxas cobradas por transações em crédito são muito altas e encarecem muito o valor final.

As compras feitas com cartão de crédito são acrescidas de um IOF de 6,38%, sem contar o spread (taxa de serviço) abusivo dos bancos. Com o cartão de débito em dólar, você arca com um IOF de apenas 1,1% e unicamente no momento da remessa.

Além disso, com o cartão de débito em dólar da Nomad, você paga por um spread de apenas 2%. A efeito de comparação, outros bancos costumam cobrar mais do que o dobro em taxas de serviço.

  1. Dólar comercial

Outro benefício do cartão de débito em dólar é que você tem acesso a uma das melhores cotações da moeda americana: o dólar comercial. 

Quem fica dependente do papel-moeda e das negociações nas casas de câmbio precisa arcar com a cotação do dólar turismo, mais alta que a do comercial, assim como todas as taxas abusivas do processo. 

  1. Saques em dólar

Outro benefício do cartão de débito em dólar da Nomad é que ele permite saques em caixas eletrônicos dos Estados Unidos. 

Com o nosso cartão, você consegue sacar em dólar em qualquer caixa eletrônico que aceite a bandeira MasterCard. Em relação às taxas, é comum que o operador da rede de ATMs cobre um valor para permitir o saque, mas isso é informado antes de você confirmar a operação.

Contudo, clientes Nomad conseguem sacar nas ATMS da rede Allpoint sem cobrança de nenhuma taxa. Para localizar os ATMs da Allpoint, clique aqui.

2 documentos essenciais para entrar nos Estados Unidos 

Para ter sucesso na sua viagem para os Estados Unidos, os primeiros itens que você deve correr atrás são o passaporte e o visto americano, que precisam estar válidos durante todo o período de permanência no país. 

O visto é a permissão que o consulado americano dá para você poder entrar, legalmente, no país. Ao todo, existem 12 tipos de visto, sendo que cada um possui condições próprias – especialmente de tempo de permanência – nos Estados Unidos. Confira os tipos de visto americano que existem hoje:

  • Visto B1/B2 – Visto de negócio ou turismo
  • E1 – Visto de comerciante
  • E2 – Visto de Investidor
  • Visto EB5 – Investimentos para imigrantes
  • F1 – Visto de estudante
  • H1B – Trabalho para profissionais formados
  • K1 – Visto de noiva/noivo
  • J1 – Visto de intercâmbio
  • O1 – Visto para trabalho com habilidades extraordinárias
  • L1 – Visto para trabalho em multinacionais
  • R1 – Visto religioso
  • P1 – Visto para atletas e artistas

Já o passaporte é o documento de identificação oficial do viajante brasileiro no exterior. Nele são registradas entradas e saídas, vistos e autorizações. No geral, ele serve como garantia às autoridades do destino que você viaja legalmente. 

Por serem dois itens essenciais para entrar nos Estados Unidos, é importante tirar o pó dos seus documentos e verificar a validade. Contudo, caso seja necessário, a emissão de passaportes e visto no Brasil está normalizada.

Como tirar passaporte?

Para quem ainda não tem um passaporte, o processo pode parecer confuso. No entanto, saiba que o procedimento é muito simples e pode ser feito da sua casa pelo site do governo, antes de comparecer ao posto.

O primeiro passo é preencher um formulário com os seus dados pessoais. Depois, é gerado um boleto para pagamento da taxa de serviço. Em seguida, você já consegue agendar o atendimento presencial, momento em que são coletadas impressões digitais e uma fotografia facial. Depois do período de emissão, você poderá buscar o seu passaporte na mesma unidade em que realizou o atendimento presencial.

Como tirar visto americano?

Em relação ao visto americano, a Embaixada e os Consulados dos EUA no Brasil também retomaram os agendamentos para o processamento do documento. Para tirar o seu, você deve acessar esse site.

Por meio da plataforma, você deve informar o tipo de visto que deseja emitir, preencher o formulário, pagar uma taxa, agendar a sua entrevista e depois acompanhar a emissão do documento. 

Lembrando que ambos os documentos são de extrema importância para qualquer viajante, já que são uma autorização oficial que um país concede a um estrangeiro para que ele fique no local por um determinado período, seja como turista, para trabalhar, estudar, entre outros.

Quais vacinas são aceitas para ir aos Estados Unidos?

Desde novembro do ano passado, quem planeja fazer uma viagem para os Estados Unidos deve apresentar obrigatoriamente o passaporte de vacinação com as duas doses da vacina contra a Covid-19 já aplicadas, assim como o teste negativo para a doença realizado um dia antes do embarque.

A medida foi anunciada como forma de retomar as viagens internacionais que têm os EUA como destino sem deixar de lado o cuidado com a saúde e segurança.

Vacinas que são aceitas nos Estados Unidos

Em relação aos tipos de vacinas, todas as que são aplicadas no Brasil são aceitas no território americano: Pfizer, Astrazeneca, Janssen e Coronavac. O país americano também está aceitando brasileiros imunizados com a Moderna e SinoPharm. 

Além disso, se você tomou duas doses de imunizantes diferentes, também terá a sua entrada garantida no país americano. O único critério é que as vacinas sejam aprovadas pelo órgão de regulação americano (Food and Drug Administration, o FDA) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O governo norte-americano também informou que menores de 18 anos não precisam de vacina contra a Covid-19 para acessar o território americano. Crianças e adolescentes de 2 a 17 anos, no entanto, terão de fazer um teste de coronavírus antes da viagem para os Estados Unidos.

Como emitir o comprovante de vacinação contra a Covid-19?

Para comprovar a sua imunização, utilize o site do Conecte SUS. Por lá, você consegue emitir o Certificado Nacional de Vacinação Covid-19, documento que comprova a vacinação. A plataforma permite que você visualize, salve e imprima o seu certificado.

As seguintes informações devem constar no documento:

  • Nome completo;
  • Data de nascimento;
  • Unidade de saúde em que a vacina foi aplicada;
  • Fabricante da vacina;
  • Número de doses administradas;
  • Datas de aplicação.

Quais testes de Covid-19 são aceitos nos Estados Unidos?

Além do comprovante de vacinação, você também deverá apresentar no embarque um resultado negativo do teste viral de Covid-19 feito em até um dia antes da viagem para os Estados Unidos, ou apresentar documentação que comprove a recuperação da infecção pelo vírus nos 90 dias anteriores ao embarque.

Em relação aos tipos de testes de Covid-19 aceitos, você pode utilizar tanto o teste antígeno ou o RT-PCR, que podem ser facilmente encontrados em farmácias, hospitais e postos de saúde. Mas você conhece as principais diferenças entre os dois?

O teste antígeno detecta antígenos do vírus em amostras de swab nasal – aquele famoso teste feito com um cotonete introduzido no nariz. O teste RT-PCR, em contrapartida, permite identificar a presença do material genético (RNA) do vírus em amostras de secreção respiratória. Ele pode ser feito por swab nasal ou oral.

Ambos os testes são altamente confiáveis. Você pode escolher o de mais fácil acesso para você e está pronto para embarcar para os Estados Unidos em segurança.

Quarentena para entrar nos Estados Unidos

Muitos países ao redor do mundo estão exigindo a quarentena – isolamento de 14 dias – de viajantes como protocolo de segurança contra a Covid-19. Os Estados Unidos, no entanto, dispensaram a medida. Para passar pela imigração, você precisa apresentar apenas os documentos citados anteriormente.

Vacina de febre amarela é obrigatória nos Estados Unidos?

Muitos se perguntam se é necessário ser vacinado contra a febre amarela para viajar para os Estados Unidos. Mas pode ficar tranquilo: por lá, não é necessário.

Como funciona o seguro viagem nos Estados Unidos

Apesar de não ser um item obrigatório, o seguro viagem é altamente recomendado para os turistas que querem curtir os Estados Unidos com tranquilidade. 

Além de garantir coberturas em várias situações, como acidentes e extravio de bagagem, o serviço também oferece assistência médica. Essa é uma das coberturas mais importantes, já que o governo americano não possui um sistema de saúde gratuito como no Brasil.

Outra cobertura importante do seguro viagem é a de cancelamento ou atraso de voos. Como a abertura de fronteiras é uma decisão que pode mudar a qualquer momento, você deve estar devidamente preparado para possíveis cancelamentos ou adiamentos de voos e hospedagens.

A AssistCard é uma boa referência de seguro e ainda oferece descontos para os clientes Nomad.

Como escolher a bagagem para viajar para os Estados Unidos

Para muitos, arrumar a mala para uma viagem internacional é um desafio. Além da preocupação sobre o que levar na bagagem despachada e na mala de mão, também são dúvidas comuns os limites de peso, tamanho de bagagem, o que despachar, o preço das principais companhias aéreas, entre outras questões. 

Antes de abordar cada um desses tópicos, é importante que você esteja a par das regras atuais da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), especialmente se essa é a sua primeira viagem internacional ou se a sua última foi em 2019, antes das mudanças estabelecidas pela agência. 

A partir daquele ano, as linhas aéreas foram autorizadas a cobrar pela bagagem despachada. Além disso, caiu a obrigatoriedade de oferecer a franquia de uma bagagem de 23 kg para voos nacionais e de dois volumes com até 32 kg para voos internacionais.

Dessa forma, as companhias aéreas agora podem cobrar para despachar suas malas. As empresas, no entanto, têm autonomia para definir como será feita a cobrança e se ela será realmente feita, o que costuma variar conforme o tipo de passagem aérea que você está adquirindo.

Hoje em dia, é comum empresas aéreas venderem passagens com diferentes tipos de franquias de bagagem despachada ou até mesmo sem a franquia. Por isso, fique atento a essas regras na hora de comprar a sua passagem aérea. Mas vamos explorar melhor esses temas a seguir.

Qual o tamanho de bagagem para viagem internacional?

Em relação ao tamanho da bagagem para uma viagem para os Estados Unidos, temos duas possibilidades. Uma é a mala de mão, que você leva junto com você dentro do avião, e a outra é a mala para despacho. Sobre esta última, as companhias aéreas brasileiras normalmente permitem despachar na classe econômica uma mala de 23 kg. Estas malas têm aproximadamente as seguintes dimensões: 80 x 50 x 28 cm.

Para a bagagem de mão, a regra é uma só para as companhias brasileiras: é permitido levar gratuitamente uma de até 10 kg (as dimensões são 55 x 35 x 25 cm). Além disso, a maioria das empresas aéreas, nacionais ou internacionais, permitem que você viaje também com um item pessoal, como bolsa ou mochila. 

Esse item pessoal deve ter as dimensões máximas de 43 x 32 x 22 cm. O tamanho é menor porque deve ser guardado embaixo da poltrona durante o voo, já que o bagageiro superior deve ser destinado somente às malas maiores.

Sobre a quantidade de malas permitidas no despacho, cada companhia tem suas próprias regras. No geral, saiba que não existe uma franquia mínima de bagagem despachada, mas algumas permitem que você despache uma ou até duas malas sem custo adicional, dependendo da classe da passagem. Por isso, pesquise bem sobre as condições da companhia aérea antes de comprar a passagem.

É muito importante se atentar a essas informações técnicas da bagagem, pois malas maiores e mais pesadas podem ser taxadas com um valor extra na hora do despacho ou do embarque. Para evitar imprevistos, tire as medidas da mala que você tem em casa antes de começar a organizar seus itens, e pese tudo depois que ela estiver pronta.

Quanto custa despachar bagagem?

Assim como as regras de tamanho e quantidade de bagagem permitida no despacho, o valor cobrado pelas companhias aéreas para quem vai para os Estados Unidos varia muito. 

Cada empresa tem a sua própria política de preços, então traçar uma estimativa é pouco preciso para calcular quanto custa despachar uma bagagem. Os valores variam, inclusive, para quem comprou a passagem aérea online ou presencialmente no aeroporto.

Contudo, via de regra, saiba que as passagens mais baratas vendidas pelas companhias aéreas não incluem o despacho de bagagem. A Latam, por exemplo, cobra em torno de US$ 35 a US$ 50 para despachar a mala de quem vai voar de classe econômica e comprou o serviço com antecedência. Para quem deixou de última hora, o valor pode beirar os US$ 80. 

A Azul também cobra em torno de US$ 50 para despachar uma bagagem na classe econômica e US$ 100 no aeroporto. 

O que levar na mala em viagem para os Estados Unidos?

Para saber o que levar na sua mala em viagem para os Estados Unidos, primeiro você deverá se atentar a essas quatro questões:

  • Qual a franquia de bagagem permitida pela companhia aérea;
  • Duração da viagem;
  • Previsão do tempo no seu destino;
  • Quantidade de compras que deseja fazer.

Depois de definir todas essas questões, fica mais fácil planejar quais roupas e calçados devem compor a sua mala. Para te ajudar nessa organização, separamos as principais categorias de roupas que devem contar em qualquer mala de viagem. Assim, fica mais fácil para você se organizar na hora de montar a sua. Confira:

  1. Camadas de fora

As camadas de fora são peças como: jaquetas (de couro, jeans, bomber), blazers, cardigãs, parkas, trench coats, capas de chuva e, para o inverno, jaquetas forradas ou casacos de lã.

Mesmo que a sua viagem para os Estados Unidos seja no verão, as camadas de fora são importantes para momentos específicos, como lugares com um ar condicionado muito forte, ou ainda uma virada no tempo não esperada. 

  1. Partes de cima

As partes de cima são peças como: camisas, camisetas, tops, regatas e, para o inverno, blusas de manga comprida ou até mesmo blusas térmicas. Nessa hora, vale incluir peças que são mais básicas e mais despojadas, para que você tenha opções para diferentes ocasiões. 

  1. Partes de baixo

As partes de baixo são peças como: calças jeans, calças de moletom, shorts, saias, bermudas e até mesmo vestidos. Uma dica é apostar em cores mais neutras, assim você consegue combinar mais facilmente com a parte de cima e, por consequência, economiza espaço na mala.

Em relação ao tecido, opte por roupas que são difíceis de amassar e que vão chegar intactas no seu destino mesmo dobradas dentro de uma mala.

  1. Calçados

Em relação aos calçados, aconselhamos que você não leve muitos para a sua viagem para os Estados Unidos. Até três já estão de bom tamanho. Assim, você garante sapatos para diferentes ocasiões sem ocupar tanto espaço na sua mala.

Em relação ao estilo de calçados, também é algo que varia conforme o clima no seu destino e as atividades que pretende fazer. No geral, para o calor é interessante levar sandálias, sapatilhas e tênis. Para o frio, botas e tênis com um solado mais grosso.

  1. Roupas íntimas e acessórios 

Outro item muito importante que deve constar na sua mala são as roupas íntimas, meias e roupas de dormir. 

Além disso, não se esqueça de alguns acessórios para compor o look conforme a estação que você estará nos Estados Unidos. Para o frio, por exemplo, é interessante levar cachecol, luvas e gorros. 

O que levar na mala de mão em viagem para os Estados Unidos?

Em relação à mala de mão, você deve levar tudo o que vai precisar durante a sua viagem, já que ela estará com você o tempo todo dentro do avião. Itens de valor como dinheiro, cartões de débito e crédito, joias, remédios e documentos (passaporte, visto, seguro viagem, etc) devem estar com você e não podem ser despachados. 

Vale a pena incluir também uma muda de roupas, caso sua mala despachada se extravie, e um casaco para se proteger do ar condicionado forte do avião.

Além desses itens, a Anac listou alguns outros que você pode levar na mala de mão. São eles: 

  • Uma manta ou cobertor;
  • Um guarda-chuva ou bengala (não pontiagudos);
  • Máquina fotográfica, laptop ou binóculos;
  • Material de leitura para viagem;
  • Alimentação infantil para consumo durante a viagem;
  • Muletas ou aparelhos ortopédicos utilizados pelo passageiro.
  • Instrumentos musicais (desde que os mesmos possam passar pelos equipamentos de Raio-X nos postos de segurança);
  • Um carrinho de bebê dobrável, uma cesta ou um bebê conforto.

Além disso, muitas pessoas têm dúvidas em relação a como transportar líquidos, como produtos de higiene, em viagens internacionais. Saiba que existem algumas restrições em relação a eles, conforme detalharemos a seguir. 

Os líquidos, seja de qualquer natureza (gel, pasta, creme, aerossol e similares) só podem ser conduzidos em frascos com capacidade de até 100 ml e colocados em embalagem plástica transparente, vedada, com capacidade máxima de 10 frascos totalizando 1 litro.

Líquidos em frascos acima de 100 ml não podem ser transportados, mesmo se o frasco não estiver cheio. 

Itens proibidos: veja o que não pode levar em viagem para os Estados Unidos

Além das especificações citadas acima em relação ao transporte de líquidos, existem algumas outras restrições em relação aos itens da sua bagagem. 

Na sua mala de mão, você não pode levar nenhum objeto pontiagudo, cortante ou que possa causar ferimentos (inclusive cortadores de unha), assim como produtos inflamáveis, explosivos ou que sejam classificados como artigos perigosos. Na dúvida, sempre consulte a sua companhia aérea.

Que horas são nos Estados Unidos: entenda o fuso

Para quem está planejando fazer uma viagem para os Estados Unidos, outra dúvida que surge é em relação ao fuso horário no destino. Como funciona? São quantas horas a menos ou a mais em relação ao Brasil? 

Em primeiro lugar, lembre-se que os Estados Unidos é um país extenso e, com isso, a diferença de horários pode variar conforme o seu destino de viagens. Para se ter uma ideia, a variação de uma costa à outra pode ser de até quatro horas de diferença. 

Saber dessa variação é essencial se você pretende visitar mais de um estado durante a sua viagem para os Estados Unidos. Assim, você não corre o risco de sofrer com atrasos, podendo perder atividades e outros compromissos.

Ao todo, existem 6 fusos que abrangem o território norte-americano, sendo 4 continentais e 2 referentes aos estados do Alasca e do Havaí. Todos são medidos a partir de um ponto central no Observatório de Greenwich, na Inglaterra. Confira, a seguir, quais são eles:

  1. Hora Padrão do Leste (Eastern Standard Time): É o horário médio de Greenwich menos cinco horas (-5 GMT). É aplicado nos estados da costa atlântica e os dois terços orientais do vale de Ohio;
  2. Hora Padrão Central (Central Standard Time): É válido para a costa do Golfo, o vale do Mississipi e as Grandes Planícies e possui uma hora de diferença para a Hora Padrão do Leste. Ou seja, quando é 12h na parte leste será 11h na parte central;
  3. Hora Padrão da Montanha (Mountain Standard Time): Abrange os estados que incluem as montanhas rochosas. Possui duas horas de diferença para a porção Leste, isto é, quando é 12h na parte leste será 10h na parte de montanha;
  4. Hora padrão do Pacífico (Pacific Standard Time): Inclui aproximadamente os estados da costa do Pacífico e Nevada. Apresenta três horas de diferença para a porção oriental. Quando for 12h na parte leste será 9h na parte do pacífico;
  5. Hora padrão do Alaska: Compreende o estado do Alaska. Possui quatro horas de diferença para a porção oriental, ou seja, quando o relógio marcar 12h na parte leste será 8h na parte em todo o Alasca;
  6. Horário do Havaí: Compreende as ilhas do arquipélago que formam o estado do Havaí. Possui 5 horas de diferença dos estados do leste dos Estados Unidos.

O horário oficial americano, de Washington DC, por exemplo, fica em duas horas a menos que o de Brasília. Nova York também segue esse fuso. A diferença, no entanto, pode aumentar no período do horário de verão.

Já em Los Angeles, um dos destinos mais cobiçados por brasileiros nos Estados Unidos, são 5 horas a menos em relação a Brasília.

Chip internacional vale a pena?

Quando estamos planejando uma viagem, em especial para fora do país, há sempre a questão de como vamos fazer em relação à comunicação com as pessoas que estão no Brasil. 

Afinal, o celular não terá nem internet, nem sinal. Mas nós sabemos que não tem como ficar sem o Google Maps para nos guiar, sem o Instagram para compartilhar os momentos, ou sem o WhatsApp para nos comunicarmos. 

Sobre isso, há mais de uma solução: você pode viajar sem internet mesmo, apenas aproveitando as redes Wi-Fi dos locais que visitar; contratar um roaming internacional com as operadoras brasileiras, ou ainda comprar um chip no destino da sua viagem – nesse caso, você teria um número novo só para usar no exterior. 

A primeira opção é a mais econômica, mas também a mais limitada. Você teria que procurar um estabelecimento com Wi-Fi toda vez que precisar se comunicar com alguém, o que pode ser perigoso caso precise fazer uma ligação ou mandar uma mensagem com urgência. 

Já o roaming internacional é a opção mais prática para garantir o seu acesso à internet nos Estados Unidos, já que você consegue contratar o serviço ainda no Brasil. Em contrapartida, os valores costumam ser mais altos e a conexão só é poderosa até um certo consumo de MBs. 

Por fim, você também pode comprar um chip local pré-pago (nos Estados Unidos se chama simcard), uma ótima opção para quem quer manter a funcionalidade do celular igual a do Brasil. Vale muito a pena, principalmente se a sua viagem durar mais tempo. A dica é pesquisar bem as opções de simcard e conhecer as vantagens de cada uma antes de adquirir o plano.

Por que viajar para os Estados Unidos em março?

Uma das melhores épocas para viajar para os Estados Unidos é na primavera que, no hemisfério norte, vai do final de março ao final de maio. A estação, que vem logo depois do inverno (e das festas de fim de ano), garante temperaturas mais amenas e lugares turísticos com menos visitantes.

Nesse período de março a maio, a primavera também contribui com belíssimas paisagens naturais, o que torna os passeios em parques nacionais, florestas e pântanos ainda mais atrativos. Para isso, estados como Califórnia, Flórida e Nevada não deixam a desejar.

Por que viajar para os Estados Unidos em setembro?

Da mesma forma como os Estados Unidos é um excelente destino na primavera, por conta das temperaturas mais amenas e menos turistas circulando pelo país, o mesmo acontece com o outono, que engloba o final de setembro ao final de outubro. 

Além disso, assim como na primavera, o outono também guarda encantos únicos, com a chegada das belas cores da estação nos estados do norte. Você pode explorar as florestas de New England, por exemplo, ou visitar o parque Great Smoky Mountains na Carolina do Norte e Tennessee, e o Lake of the Ozarks, Missouri.

Viajar para os Estados Unidos nessa época também é uma oportunidade única de aproveitar grandes festejos locais, como o Fantasy Fest (espécie de Mardi Gras que acontece em Key West, na Flórida) e, claro, o famoso Halloween. O feriado de 31 de outubro é um dos eventos mais esperados do ano, com desfiles temáticos acontecendo em Nova York, Los Angeles e Salem, Massachusetts.

Melhores destinos para conhecer nos Estados Unidos em baixa temporada

A baixa temporada nos Estados Unidos, conforme citamos, engloba tanto a primavera (final de março ao final de maio) quanto o outono (final de setembro ao final de outubro). Em ambas as estações, você consegue visitar os pontos turísticos mais badalados do país pagando menos do que nas altas temporadas (verão e inverno).

Por isso, recomendamos que você deixe para visitar cidades muito turísticas nos meses que compreendem a baixa temporada. Confira, a seguir, 3 sugestões de destinos para conhecer nos Estados Unidos nessa época. 

  1. Las Vegas, Nevada

Cercada pelo deserto e com uma intensa vida noturna em seu interior, Las Vegas foi idealizada para o turismo. Por isso, visitar a cidade em períodos de baixa temporada pode garantir preços mais atrativos e atrações turísticas menos disputadas. 

Além de conhecer os famosos cassinos da região, como Bellagio, The Cosmopolitan e MGM Grand, aproveite para conhecer o Grand Canyon – uma excursão de tirar o fôlego.

  1. Orlando, Flórida

Orlando é, sem dúvidas, um dos principais destinos dos brasileiros que viajam para os Estados Unidos. Por isso, mais uma vez, a baixa temporada garante uma viagem mais tranquila e econômica.

Muito provavelmente os parques da Disney serão a razão da sua viagem, mas não deixe de visitar também o Universal Studios, a Universal’s Islands of Adventure e a Legoland.

  1. Chicago, Illinois 

Localizada às margens do lago Michigan, Chicago é uma das maiores cidades dos EUA. Famosa por seus arranha-céus, como o famoso John Hancock Center, a Willis Tower e a Tribune Tower, mas também pelos museus, como o Art Institute of Chicago. Visitá-la na baixa temporada também é uma boa pedida para garantir passagens e hospedagem mais em conta. 

2 razões para viajar para os Estados Unidos em novembro

Com a chegada do inverno, o número de turistas despenca em novembro nos Estados Unidos. No entanto, existem dois bons motivos para você visitar o país neste mês: o Thanksgiving seguido pela Black Friday.  

O feriado de Thanksgiving (ou Ação de Graças, em portugês) é celebrado toda quarta quinta-feira do mês. O evento é extremamente tradicional no país, com diversas comemorações acontecendo em todo o território. Um bom exemplo é a Macy’s Day Parade, em Nova York, famosa por seus balões gigantes e desfiles com bandas.

A data é dedicada para celebrar tudo o que ocorreu de bom no ano que passou. Para isso, as famílias também se reúnem para compartilhar momentos de gratidão e muita comida. O menu do dia de Ação de Graças inclui o tradicional peru, purê de batata, batata doce e torta de abóbora.

Um dia depois da Ação de Graças, o país também vive a famosa Black Friday, que oferece muitos descontos, liquidações e ofertas imperdíveis. Para quem quer viajar para os Estados Unidos em busca de boas aquisições, novembro é o mês para isso. 

Uma das principais vantagens de comprar na Black Friday dos Estados Unidos é a enorme variedade de lojas e produtos, com descontos que podem superar o que se vê no Brasil. 

Lugares baratos para viajar nos Estados Unidos

Os custos de uma viagem internacional podem ser altos e, por isso, muitas pessoas acabam optando por opções menos óbvias de destinos (mas tão fascinantes quanto os tradicionais) em busca de uma economia maior na viagem. 

Se você está planejando uma viagem para os Estados Unidos gastando menos, confira essa lista de três lugares baratos (e incríveis!) para conhecer no país.

  1. Austin, Texas

A capital do Texas é uma excelente opção para viajantes que curtem um cenário eclético e agitado. A cidade conta com o campus principal da Universidade do Texas, por isso tem muitos jovens circulando por lá e que contribuem para uma cena artística e vida noturna intensas.

Além do lado badalado, Austin também é conhecida por seus diversos parques e lagos, locais que são muito procurados para trilhas, ciclismo, natação e passeios de barco. 

  1. Salt Lake City, Utah

Uma das mais belas cidades dos Estados Unidos, Salt Lake City (ou SLC), capital do Utah, guarda inúmeros encantos. Suas diversas formações rochosas e parques, como o Parque Nacional de Bryce Canyon e o Parque Nacional Zion, são paisagens únicas e marcantes.

  1. Filadélfia, Pensilvânia

Para quem quer se aprofundar na cultura e história americana durante a viagem para os Estados Unidos, visitar a Filadélfia é uma ótima opção. Além de ser um passeio mais em conta, já que não é um destino tão óbvio, a cidade reúne importantes passagens da história do país.

Escolhida como a primeira capital dos Estados Unidos, a Filadélfia possui uma série de museus e monumentos referentes ao processo de independência. Se você for para lá, não deixe de conhecer os pontos turísticos que celebram o 4 de julho, Dia da Independência norte-americana, como o Independence Hall e o Sino da Independência.

Viajar para os Estados Unidos ou Europa?

Os dois destinos estão sempre no topo da lista dos melhores lugares para viajar nas férias. Tanto a Europa quanto os Estados Unidos reúnem uma série de possibilidades de passeios e atrações que agradam a todos os tipos de turistas. Mas, para onde ir?

Se essa é a sua dúvida no momento, saiba que não existe uma resposta definitiva. A escolha por um destino de viagem vai depender de inúmeros fatores, como o seu orçamento e tempo de férias. Mas, principalmente, vai depender dos seus gostos pessoais e do que você gosta de fazer.

De uma maneira bem generalista, a Europa é um excelente destino para quem curte passeios históricos, conhecer uma arquitetura antiga e mergulhar fundo em diferentes culturas. O velho continente não leva esse apelido à toa: a Europa é um caldeirão de história, arte e conhecimento. Mas também de muito charme e romantismo! 

Além disso, a Europa é uma ótima pedida para quem quer conhecer vários países de uma vez só. A proximidade entre os locais e os trens de alta velocidade tornam fácil visitar mais de uma capital em uma mesma viagem.

Os Estados Unidos, por outro lado, reúne cidades ultra urbanas, com prédios altos e muita agitação. A arquitetura é mais moderna e contemporânea, e os monumentos históricos do país remontam guerras, revoluções e a democracia americana. 

Para quem é fã de cinema, o país tem a maior indústria cinematográfica do mundo, e isto se reflete em várias atrações relacionadas ao assunto – assim como em artistas e celebridades em si. Outro diferencial dos Estados Unidos são os parques de diversões e atrações dos mais variados tipos.

Além disso, se você quer viajar para fazer compras, os Estados Unidos também é o destino ideal. Cidades como Miami, Orlando e Nova York reúnem inúmeras lojas com bons preços e ótimos outlets. 

Como aproveitar os Estados Unidos com a Nomad

O dólar é um dos assuntos importantes para quem está planejando uma viagem para os Estados Unidos. Com a conta em dólar da Nomad, você economiza no câmbio da moeda e poupa nas suas compras no exterior

Com ela, você consegue fazer remessas, compras, transferências, investimentos e saques em dólar. Na Nomad, essas transações podem ser feitas através de uma única plataforma, 100% digital e gratuita.

Como abrir uma conta em dólar na Nomad

Abrir uma conta em dólar nos EUA pela Nomad é muito simples. Você só precisa ter um passaporte brasileiro válido e ser maior de 18 anos.

Com o documento em mãos, baixe o aplicativo da Nomad (disponível para Android e iOS), preencha seus dados pessoais, como nome, data de nascimento, telefone e CPF, e registre seu passaporte válido.

Depois, grave um vídeo selfie de 5 segundos segurando o passaporte. Enquanto isso, fale a frase “I authorize account opening with Nomad“, ou “Eu autorizo a abertura de conta na Nomad”.

Em até dois dias úteis, a sua conta será verificada e você estará pronto para receber, transferir, comprar e investir em dólar com mais praticidade, economia e segurança. 

Para ficar por dentro de todas as possibilidades de uma vida Nomad para além da viagem para os Estados Unidos, nos acompanhe nas redes sociais: Instagram e LinkedIn


Serviços intermediados por FRAM Capital DTVM S.A.

O conteúdo disponibilizado neste artigo não constitui ou deve ser considerado como conselho, recomendação, oferta ou solicitação de quaisquer produtos ou serviços pela Nomad. Este material tem caráter exclusivamente informativo. Para saber mais, acesse https://nomadglobal.com/legal/


CONHEÇA NOSSAS MÍDIAS SOCIAIS


© 2022 NOMAD. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

Juntos com a Nomad

Synapse Drive Wealth logo ourinvest logo fram capital