Postado em 24 de abril, por NOMAD

Investimentos

Os 5 principais erros que o investidor iniciante deve evitar

Aprender com os erros para fugir daquilo que não funciona é essencial para que um investidor iniciante evite grandes dores de cabeça. Por isso, quem entra no mundo dos investimentos deve estar por dentro dos erros mais comuns desse universo, em busca de uma experiência financeiramente saudável e pouco traumática.

Apesar de serem velhos conhecidos no mercado financeiro, os erros mais comuns do investidor iniciante podem impactar diretamente no bolso. E, embora eles possam parecer simples de serem evitados, infelizmente, acabam ocorrendo em pelo menos um momento durante a jornada do investidor. 

Neste artigo, vamos explicar um pouco mais sobre os erros mais comuns de iniciantes e como você pode evitá-los. Confira, a seguir!

Colocar todos os ovos em uma única cesta

A concentração de patrimônio em um único ativo ou em uma classe de ativos é um dos principais erros do investidor. Isso inclui, por exemplo, alocar todo seu dinheiro em renda variável.

Esse erro acaba sendo muito comum para o iniciante que quer seguir alguma dica quente de um amigo, familiar ou de um “guru” na internet. Ele acaba investindo toda a sua reserva naquele ativo que é a febre do momento e isso pode ocasionar graves prejuízos financeiros.

Isso porque pode ocorrer algum problema específico com o ativo em que você colocou todo o seu patrimônio, acabando com as economias investidas. A melhor forma de evitar esse erro é a diversificação da carteira.

Por isso, ao investir seu patrimônio, busque diversificar os ativos e as classes de ativos para montar uma carteira de investimentos equilibrada; capaz de diminuir riscos e otimizar os seus resultados no longo prazo.

Tentar prever as oscilações do mercado

Muitos investidores iniciantes acreditam que existe uma fórmula mágica para prever a direção do mercado.  É o famoso erro dos que pensam que conseguem adivinhar se o mercado já caiu demais ou subiu muito para tentar comprar e vender ativos.

No entanto, a realidade é que não há como prever o comportamento do mercado. Ele depende de inúmeros fatores econômicos e sociais e, como vimos recentemente, crises de saúde pública (e até mesmo guerras) podem ocorrer sem qualquer aviso, afetando muito as oscilações do mercado.

Por isso, a recomendação é de não tentar adivinhar para onde vai o mercado, principalmente no curto prazo, onde inúmeros fatores imprevisíveis podem afetar o preço. O ideal é fazer investimentos pensando em um horizonte mais amplo.

Desconhecer o seu perfil de risco

Um dos passos mais importantes para começar a investir é conhecer o seu perfil de risco para descobrir quais ativos são mais adequados aos seus objetivos. No entanto, um dos erros dos investidores iniciantes é desconhecer ou não levar em conta o seu perfil de risco na hora de investir.

É o famoso erro daqueles que acabam comprando ativos mais voláteis ou com um risco maior do que podem suportar como, por exemplo: os que compram a “ação da momento”, que sobe muito, mas também tem um risco enorme.

Em geral, comprar ativos fora do seu perfil de risco pode gerar mal-estar, ansiedade e outros sentimentos que vão te levar a tomar decisões equivocadas; fazendo com que você, inclusive, venda os ativos no pior momento possível.

Tomar decisões de investimentos com base na emoção

Esse talvez seja um dos erros mais conhecidos dos investidores. É muito comum o investidor comprar um ativo porque ficou com medo de ficar de fora daquela ação que só subia e parecia que ia chegar na Lua.

Esse sentimento é conhecido no mercado como FOMO (Fear of Missing Out), em tradução livre: medo de ficar de fora. É a famosa situação na qual você vê os seus vizinhos, amigos e familiares “ganhando dinheiro” com aquele investimento e você não quer ser o único a ficar de fora.

Além disso, também temos o conhecido efeito manada, que ocorre muito em momentos de crise. Parece que todo mundo começa a vender aquele ativo e, você, instintivamente, sente que deve fazer a mesma coisa, mesmo não sendo o momento mais adequado.  Vender após enormes quedas é um bom exemplo desse tipo de cenário.

Esses comportamentos são recorrentes aos investidores, inclusive aos mais experientes, porque decorrem de gatilhos psicológicos quase incontroláveis.

Por isso, em momentos de crise ou de euforia, não tome decisões com base nas suas emoções. O mais indicado é esperar até passar o auge da sensação e analisar se realmente é o momento certo de fazer algo em relação aos seus investimentos.

Buscar resultados no curto prazo

No geral, a maioria dos erros dos investidores –  inclusive os mencionados anteriormente – são reflexos do quinto e último erro da nossa lista.
A busca por resultados no curto prazo acaba gerando ansiedade e outros gatilhos que afetam a qualidade de suas decisões; principalmente quando falamos em investimentos.

Vale destacar que não existe milagre e que a construção de patrimônio demanda tempo e muito esforço. Por isso, mais do que tentar ganhar dinheiro no curto prazo, investir é uma forma de garantir o futuro e a sua liberdade financeira para quando não puder (ou quiser) mais trabalhar.

Desta forma, o ideal é ter sempre em mente que obter resultados com investimentos demanda tempo e prazos longos. Lembre-se, ainda, de que os grandes investidores demoraram anos para acumular as suas fortunas e nada é feito do dia para noite. 

Agora que você conhece um pouco mais sobre os erros mais comuns do investidor iniciante, que tal refletir se você já cometeu algum deles e como você pode evitá-los para não prejudicar o seu patrimônio?


Serviços intermediados por FRAM Capital DTVM S.A.

O conteúdo disponibilizado neste artigo não constitui ou deve ser considerado como conselho, recomendação, oferta ou solicitação de quaisquer produtos ou serviços pela Nomad. Este material tem caráter exclusivamente informativo. Para saber mais, acesse https://nomadglobal.com/legal/


CONHEÇA NOSSAS MÍDIAS SOCIAIS


© 2022 NOMAD. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

Juntos com a Nomad

Synapse Drive Wealth logo ourinvest logo fram capital