Postado em 22 de junho, por NOMAD

Investimentos

Investimento no exterior: entenda quanto alocar fora do Brasil

Com a facilitação do acesso a mercados internacionais, o investidor brasileiro tem percebido que o investimento no exterior é imprescindível para formar um portfólio equilibrado.

Buscar a diversificação global de ativos é fundamental para quem quer otimizar a rentabilidade e mitigar os riscos dos seus investimentos. Mas, a grande dúvida que surge em relação ao investimento no exterior é descobrir a porcentagem ideal para alocar fora do Brasil. 

Nesse artigo, vamos mostrar qual a parcela ideal que  você deve ter alocada no exterior para ter uma carteira efetivamente diversificada. Confira, a seguir!

Diversificação em investimento no exterior

Antes de apresentar o percentual médio indicado para investir no exterior, é importante destacar que a alocação ideal da sua carteira deve sempre levar em conta alguns pontos básicos, dentre outros fatores que podem influenciar na formação de seu portfólio, como:

  • seu perfil de investidor
  • seus objetivos
  • seus gastos pessoais
  • sua capacidade mensal de novos aportes

No entanto, vale lembrar que a diversificação global de investimentos tem se mostrado imprescindível para os brasileiros, quer seja para se proteger (de crises internas, da inflação e da forte variação cambial, por exemplo) ou para ter acesso a melhores e mais variados produtos de investimentos. 

Na realidade, muito mais do que um fator de mitigação de risco, a diversificação em ativos no exterior proporciona ao investidor brasileiro acesso a mercados maiores e mais maduros. Assim, ele ganha uma ampla variedade de ativos e setores, que, por vezes, não têm similares na Bolsa brasileira.

Outro ponto relevante é que investir diretamente no exterior se tornou muito mais simples e acessível. Portanto, atualmente você tem acesso aos produtos internacionais diretamente, sem precisar se valer de intermediários e produtos negociados na Bolsa brasileira com taxas e despesas adicionais, como os BDRs.

Além disso, o investimento realizado no exterior também tem vantagens tributárias em relação ao ganho de capital, o que impacta diretamente na rentabilidade final de seu portfólio, otimizando a sua performance no longo prazo. 

Quanto alocar em investimento no exterior?

Para entender melhor o quanto se deve alocar no exterior, é importante saber que, em dezembro de 2019, a economia brasileira representava aproximadamente 3% do PIB mundial. Já o PIB dos EUA, por sua vez, era 25% do total do produzido no globo. 

E mesmo nesse cenário, o investidor brasileiro tem menos de 1% de seu patrimônio investido no exterior, enquanto o americano tem cerca de 29% alocados fora dos EUA.

Investimento no exterior ainda não faz parte das alocações típicas do brasileiro

Além disso, a média de alocação internacional dos investidores de outros países importantes, como Canadá (35%), Reino Unido (50%), Austrália (26%) e Japão (45%), é maior que 30%; ou seja, bem superior ao praticado pelo investidor brasileiro.

Desta forma, é possível notar que o investidor no Brasil está excessivamente posicionado em ativos locais, principalmente se considerarmos a representatividade da economia brasileira perante o mundo.

Diante disso, em geral, os especialistas indicam que para ter uma carteira equilibrada e diversificada, a alocação ideal (mínima) no exterior é de 30% do seu patrimônio investido. Sempre respeitando o seu perfil de investidor para cada classe de ativos, vale ressaltar.

Quanto alocar no meu investimento no exterior?

Mas calma! Não precisa sair vendendo e comprando ativos para alcançar essa alocação de uma única vez. Você pode fazer os ajustes ao longo do tempo ou conforme realiza novos aportes de investimentos. 

Além disso, é importante acompanhar a evolução de sua carteira, periodicamente, para fazer o rebalanceamento, buscando manter os mesmos percentuais de sua alocação ideal.

Agora que você já sabe o percentual ideal para uma carteira diversificada com investimento no exterior, aprofunde-se no tema definindo seus objetivos e nível de risco para estudar em quais ativos fora do Brasil você pode começar a investir.


Serviços intermediados por FRAM Capital DTVM S.A.

O conteúdo disponibilizado neste artigo não constitui ou deve ser considerado como conselho, recomendação, oferta ou solicitação de quaisquer produtos ou serviços pela Nomad. Este material tem caráter exclusivamente informativo. Para saber mais, acesse https://nomadglobal.com/legal/


CONHEÇA NOSSAS MÍDIAS SOCIAIS


© 2022 NOMAD. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

Juntos com a Nomad

Synapse Drive Wealth logo ourinvest logo fram capital