Postado em 15 de julho, por NOMAD

Investimentos

O que é liquidez corrente e qual a importância desse indicador?

Quem possui objetivos de longo prazo e pretende investir em ações precisa escolher as empresas com maiores chances de entregar os resultados desejados. Para tanto, entre outras questões, é necessário ter atenção quanto às informações relacionadas à sua saúde financeira, como a sua liquidez corrente.

Por isso, é pertinente conhecer mais a respeito da liquidez corrente e entender como esse fator está relacionado com o investimento em ações. Isso porque este é um dos principais  indicadores que podem ser usados para uma análise da parte financeira de uma companhia.

Acompanhe este artigo para saber o que é liquidez corrente e qual a importância desse indicador no momento de montar a sua carteira de investimentos.

Boa leitura!

O que é a liquidez?

O passo inicial para compreender o conceito de liquidez corrente é aprender o que se entende por liquidez. Em termos financeiros, a liquidez está relacionada à velocidade na qual é possível converter um investimento em dinheiro disponível para uso.

Nesse sentido, quando se fala que um ativo tem pouca liquidez, significa que o investidor poderá encontrar dificuldades em se desfazer dele. Geralmente, isso acontece pela falta de interessados em negociá-lo ou pela existência de regras que impedem o desinvestimento imediato.

Por outro lado, investimentos com alta liquidez são aqueles que podem ser comprados ou vendidos rapidamente. Entre as alternativas mais conhecidas do mercado brasileiro estão os títulos do Tesouro Direto, ações de grandes empresas, fundos imobiliários (FIIs), etc.

No entanto, quando levada ao mundo empresarial, a liquidez está relacionada à saúde financeira de uma companhia. Nesse caso, ela indica a capacidade de cumprimento das obrigações financeiras de um negócio. Ou seja, o indicador mostra as condições da empresa para não ficar com as contas no vermelho.

E a liquidez corrente, o que é?

Após entender o que é liquidez, é preciso saber mais sobre a liquidez corrente. Também chamada de índice de liquidez corrente, esse é um indicador que relaciona os valores previstos para entrar e sair do caixa empresarial no curto prazo. 

Portanto, ele mede a capacidade de uma companhia pagar todas as suas dívidas em um curto horizonte de tempo. Como resultado, uma empresa com alta liquidez consegue quitar as suas dívidas de curto prazo com maior facilidade, indicando uma melhor estrutura econômica. 

Já uma companhia com baixa liquidez tende a encontrar mais dificuldades de arcar com suas obrigações. Desse modo, ela tem mais chances de ficar endividada e ter que lidar com multas e juros nas contas a pagar. 

Esse tipo de análise costuma ser relevante para a escolha de uma ação no mercado. Isso porque você poderá comparar a situação de diferentes empresas em busca daquela que possui melhores condições de se manter forte financeiramente no decorrer do tempo.

Como calcular e interpretar a liquidez corrente?

Após conferir o conceito de liquidez corrente, talvez você esteja curioso sobre como é feito o seu cálculo e como interpretá-lo. A fórmula desse indicador considera os ativos e passivos circulantes da organização. 

Veja só:

Liquidez corrente = ativo circulante ÷ passivo circulante

São considerados ativos circulantes o estoque, recebíveis e dinheiro em conta, entre outros. Em relação ao passivo circulante, ele diz respeito aos impostos, empréstimos, fornecedores a pagar e assim por diante.

Ao usar essa fórmula com os dados financeiros da empresa, o resultado revelará sobre as condições de saúde financeira do negócio. Se o total for igual ou maior que 1, significa que a empresa tem capital suficiente para cobrir as suas dívidas. Do contrário, ela poderá enfrentar dificuldades no curto prazo.

Por exemplo, imagine uma empresa que tenha um ativo circulante de R$ 150 milhões e um passivo circulante de R$ 125 milhões. Nesse caso, ao aplicar a fórmula da liquidez corrente, o resultado será de 1,2.

Confira:

  • Liquidez corrente = 150.000.000 ÷ 125.000.000;
  • Liquidez corrente = 1,2.

O resultado obtido no exemplo indica que a empresa terá condições de quitar seus compromissos financeiros de curto prazo. Porém, é possível criar parâmetros para determinar os resultados mais adequados para que uma empresa esteja alinhada à sua estratégia.

Por exemplo, na obra “O Investidor Inteligente”, de Benjamin Graham — o mentor de Warren Buffett —, ele define qual seria o valor ideal de liquidez corrente de uma empresa. Para o autor, o resultado deveria ser de, pelo menos, 1,5 ou 2 para o investidor ter mais conforto e segurança no aporte.

Quais outros tipos de liquidez podem ser usados na análise de empresas?

Sabendo calcular a liquidez corrente, é válido aprender os outros 3 tipos de indicadores de liquidez empresarial. São eles:

Liquidez imediata

A liquidez imediata usa um cálculo mais conservador. Isso porque ele considera apenas o patrimônio disponível e o passivo circulante da companhia. Nesse caso, a fórmula será: 

liquidez imediata = patrimônio disponível ÷ passivo circulante

Liquidez seca

Já a liquidez seca tem como diferencial o fato de não considerar o estoque em seu cálculo. O objetivo é mostrar a capacidade da empresa em ficar livre de dívidas sem vender seu estoque. A fórmula é: 

liquidez seca = (ativo circulante – estoque) ÷ passivo circulante

Liquidez geral

Por fim, a liquidez geral tem como finalidade calcular a liquidez da companhia no longo prazo. O cálculo considera os ativos e passivos circulantes e não circulantes. Na prática, o cálculo é assim:

liquidez geral = (ativo circulante + ativo não circulante) ÷ (passivo circulante + passivo não circulante).

Qual a importância do índice de liquidez corrente? 

Como você viu, o índice de liquidez corrente é uma ferramenta de grande importância na escolha de companhias para investir. Afinal, com ele, é possível fazer o gerenciamento de risco ao evitar o investimento em empresas que não têm condições de pagar suas dívidas de curto prazo.

A falta de liquidez em uma organização pode ser sinal de que ela enfrenta graves problemas financeiros. O motivo disso geralmente decorre de problemas em seu fluxo de caixa, estratégias ineficientes ou gestão equivocada, entre outras questões.

Ademais, uma empresa com problemas financeiros pode não ter condições de distribuir dividendos. Isso porque, para que uma companhia realize o pagamento desse provento, é necessário que ela tenha realizado lucros em um determinado período.

O mesmo pode ser dito em relação ao crescimento da companhia em prazos maiores. Se uma empresa não possui recursos para quitar seus compromissos financeiros imediatos, há chances de que ela não consiga investir em melhorias ou financiar a sua expansão.

Logo, recorrer a esse e a outros indicadores da análise fundamentalista tende a contribuir na escolha dos melhores investimentos. E isso não se limita às ações presentes na Bolsa de valores brasileira. 

Essas mesmas análises podem ser feitas com empresas listadas em mercados internacionais. Dessa forma, quem deseja expor o portfólio às companhias estrangeiras pode se valer da avaliação dos fundamentos da empresa para tomar decisões mais adequadas para sua estratégia de investimento de longo prazo. 

Agora que você aprendeu a calcular a liquidez corrente de uma empresa, ficará mais fácil tomar decisões no momento de selecionar ações. Contudo, evite embasar suas escolhas em apenas um indicador fundamentalista. Afinal, isso limitaria a sua visão sobre a companhia.


Serviços intermediados por FRAM Capital DTVM S.A.

O conteúdo disponibilizado neste artigo não constitui ou deve ser considerado como conselho, recomendação, oferta ou solicitação de quaisquer produtos ou serviços pela Nomad. Este material tem caráter exclusivamente informativo. Para saber mais, acesse https://nomadglobal.com/legal/


CONHEÇA NOSSAS MÍDIAS SOCIAIS


© 2022 NOMAD. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

Juntos com a Nomad

Synapse Drive Wealth logo ourinvest logo fram capital