Postado em 14 de junho, por NOMAD

Investimentos

Taxa Selic: o que é e quais os seus efeitos sobre a carteira de investimentos?

A economia nacional possui mecanismos importantes para regular a inflação e estimular o consumo — como é o caso da taxa Selic. Como consequência, essa taxa exerce grande influência sobre o mercado financeiro.

Logo, acompanhar a taxa Selic é fundamental para entender os movimentos da economia. Do mesmo modo, conhecer a taxa básica de juros da economia brasileira ajuda a tomar melhores decisões de investimento.

Neste artigo, você entenderá o que é a taxa de juros Selic, como ela impacta a carteira de investimentos e como investir diante das suas movimentações. Continue a leitura e confira!

O que é e como funciona a taxa Selic?

A taxa Selic é um índice econômico que baliza diversas outras taxas de juros cobradas pelas instituições financeiras em empréstimos, financiamentos e outros produtos bancários. Além disso, a Selic tem diversas funções na economia nacional.

Também conhecida como taxa básica de juros do Brasil, a Selic ajuda a controlar a inflação e tem influência direta na emissão, compra e venda de títulos públicos. 

Com relação ao funcionamento, vale saber que o termo Selic é a abreviação de Sistema Especial de Liquidação e Custódia. Contudo, para entender de forma completa a taxa Selic, é preciso considerar a distinção entre Selic Meta e Selic Over. A Selic Meta é definida pelo Banco Central (Bacen). 

Assim, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Bacen fica responsável por definir a meta da taxa Selic para o período. O comitê é formado por conselheiros que se reúnem a cada 45 dias e discutem se a meta será mantida, elevada ou reduzida — a partir de uma análise das perspectivas do mercado, características da economia e objetivos da política monetária.

Já a Selic Over é uma taxa que representa a média ajustada das operações diárias apuradas no sistema de títulos federais entre instituições bancárias. De maneira simplificada, o valor da Selic Over indica qual é a taxa de juros média praticada em empréstimos de curtíssimo prazo entre bancos — lastreados em títulos públicos.

A expectativa, portanto, é que a Selic Over se mantenha dentro dos parâmetros estipulados pelo Copom para a Selic Meta anual.

Para que serve a taxa de juros Selic?

Agora que você sabe o que é, como funciona e como a taxa Selic é definida, é importante entender para que ela serve. Como você viu, a taxa tem papel central na política econômica do Brasil. Nesse sentido, ela é bastante utilizada para o controle da inflação.

Quando há um problema de alta da inflação no país, é comum observar que há um aumento da Selic pelo Copom. Essa decisão está relacionada ao fato de que a elevação dos juros desestimula o consumo, pois dificulta o acesso ao crédito.

Com a redução do ritmo da demanda no comércio e indústria, é esperado que os preços dos produtos e serviços diminuam. Como consequência, a inflação tende a ser reduzida. 

Por outro lado, taxas de juros menores garantem acesso facilitado ao crédito. Assim, as pessoas tendem a consumir mais, investir na economia e, até mesmo, a empreender — aquecendo o mercado. Logo, em períodos de inflação controlada, a Selic pode ser reduzida, visando um estímulo econômico.

Além disso, o Governo Federal tem papel essencial na estabilidade econômica do país. Afinal, a instituição é responsável por regulamentar o sistema bancário e arrecadar e administrar os impostos pagos pela população.

Portanto, o Governo tem, à sua disposição, uma série de medidas e recursos utilizados para a gestão da estabilidade econômica do país. Ele acompanha as movimentações do mercado e reage a elas, como com a definição da taxa Selic Meta.

Quais são os efeitos da Selic sobre os investimentos?

Após entender a relação da taxa Selic com a economia de modo geral, é preciso saber que ela também tem influência direta nos investimentos. No mercado financeiro, o principal impacto ocorre nos títulos públicos que têm a Selic como referência de remuneração.

Afinal, o rendimento deles reflete diretamente o aumento ou a redução da taxa básica de juros. Além disso, os demais investimentos da renda fixa também são influenciados pela Selic, pois costumam render de acordo com índices que se relacionam com ela.

Esse é o caso do CDI (Certificado de Depósito Interbancário) e do IPCA (índice de inflação). A poupança é outra alternativa que sofre influência direta da taxa, pois sua lógica de rentabilidade depende do seu percentual.

Ademais, os títulos pré-fixados têm suas taxas baseadas nas variações da Selic, de forma a seguir as características do mercado. Para tanto, eles podem oferecer taxas maiores ou menores, considerando a taxa básica de juros da economia para manter a atratividade dos títulos. 

Já na renda variável, a relação normalmente é inversa. Ou seja, em um cenário de Selic baixa, a bolsa de valores tende a se tornar mais vantajosa para os investidores. Esse processo é resultado do aquecimento da economia, que normalmente aumenta o lucro das empresas, ao mesmo tempo em que o potencial de retorno da renda fixa fica menor para os investidores.

Como investir diante da movimentação da taxa Selic?

Até aqui, você aprendeu que as movimentações da taxa Selic afetam a economia e os investimentos de diferentes maneiras. Nesse sentido, é importante saber como investir diante das oscilações para manter um portfólio sólido e equilibrado.

Como uma Selic alta costuma ser acompanhada de uma inflação elevada — o que pode reduzir a rentabilidade real dos seus investimentos —, uma forma de se proteger desse cenário é com a dolarização de parte da carteira de investimentos. Ou seja, com a exposição do capital à moeda estrangeira.

Afinal, historicamente, países desenvolvidos, como os Estados Unidos, possuem uma economia mais estabelecida. Dessa forma, moedas como o dólar funcionam como reservas de valor em relação ao real.

Assim, se expor a investimentos em moedas estrangeiras pode ser uma forma de se proteger da inflação no Brasil, evitando a perda do poder de compra do seu dinheiro. Além disso, essas alternativas também ajudam a diversificar a carteira e protegê-la em caso de desvalorização do real.

Isso porque o dólar tende a ser descorrelacionado com os ativos nacionais negociados na bolsa de valores brasileira (B3). Assim, a estratégia funciona como proteção (hedge) para o portfólio. Além disso, há a oportunidade de aumentar a rentabilização diante de um desempenho positivo do dólar. 

Agora você sabe o que é a taxa Selic e como ela influencia a economia nacional e o mercado financeiro. Com esse conhecimento, é possível definir estratégias que ajudam a proteger o portfólio e aproveitar as oportunidades para compor a sua carteira de investimentos.


Serviços intermediados por FRAM Capital DTVM S.A.

O conteúdo disponibilizado neste artigo não constitui ou deve ser considerado como conselho, recomendação, oferta ou solicitação de quaisquer produtos ou serviços pela Nomad. Este material tem caráter exclusivamente informativo. Para saber mais, acesse https://nomadglobal.com/legal/


CONHEÇA NOSSAS MÍDIAS SOCIAIS


© 2022 NOMAD. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

Juntos com a Nomad

Synapse Drive Wealth logo ourinvest logo fram capital