Postado em 01 de agosto, por NOMAD

Investimentos

O que é venture capital e como investir?

O investimento em empresas não se limita a comprar ações nas Bolsas de Valores. Em vez disso, também é possível investir em negócios em outros estágios de maturidade, como por meio do venture capital.

Ao conhecer a alternativa, você terá a chance de aproveitar as vantagens de realizar esse tipo de investimento privado. Ao mesmo tempo, é preciso considerar os riscos para decidir se vale incluir a alternativa do venture capital na sua carteira.

Ficou interessado no assunto? A seguir, descubra o que é o venture capital e veja como investir nesse tipo de oportunidade do mercado financeiro!

O que é venture capital? 

O venture capital ou capital de risco é um tipo de investimento feito em empresas que estão em estágios iniciais de desenvolvimento. No momento em que recebem os aportes, as companhias ainda não têm grande faturamento, mas podem crescer ao longo do tempo.

Essa modalidade é um tipo de subdivisão do private equity. Logo, ela prevê o investimento em empresas de capital fechado e que, portanto, não estão listadas na Bolsa de Valores.

Como o venture capital funciona? 

Depois de conferir o que é venture capital, é essencial entender como essa alternativa funciona. O objetivo desse investimento é ajudar a companhia a se desenvolver e gerar mais lucros. Assim, a participação no negócio pode se valorizar, gerando ganhos no futuro.

Logo, o processo costuma iniciar com a avaliação de empresas que estejam em momentos iniciais e que apresentem elevado potencial de retorno.

A partir disso, o investidor (conhecido como venture capitalist) adquire participação na companhia. Isso faz com que ele se torne parte das decisões do empreendimento — ajudando-o a alcançar melhores resultados.

Após determinado período, a participação no negócio é vendida. Se o preço de venda for maior que o montante pago inicialmente, há a realização de lucro. Em geral, esse é um investimento de longo prazo, pois isso permite que o empreendimento amadureça com o tempo.

Quais são os tipos de investimento privado? 

O próximo aspecto para conhecer sobre venture capital envolve os tipos de investimento privado que existem. O próprio venture capital é uma dessas classificações e as principais são as seguintes:

  • seed capital ou capital semente: envolve o investimento em empresas que podem ser apenas ideias ou que estão iniciando as atividades, como aquelas que estão em fase de validação;
  • venture capital: prevê o investimento em empresas que já têm um modelo de negócios e os primeiros resultados — como acontece ao investir em uma startup, por exemplo;
  • private equity: contempla o investimento em empresas mais maduras, consolidadas e com porte maior, mas que têm o capital fechado.

Ainda, é comum que existam rodadas de captação de recursos dentro do venture capital. Quando uma startup faz a rodada série A, por exemplo, ela busca recursos para escalar sua atuação, com base nos resultados que já apresentou.

Depois, ocorrem as rodadas B, C, D e assim sucessivamente. Em geral, elas envolvem uma captação progressiva de valores, já que a tendência é que a empresa passe a valer cada vez mais, a partir dos investimentos realizados. 

Quais as vantagens e riscos do venture capital? 

Após saber quais são as características gerais de funcionamento, vale a pena conhecer quais são os pontos positivos e os riscos de investir em venture capital. Em relação às vantagens, essa é uma alternativa que pode ajudá-lo a diversificar a carteira.

Afinal, o investimento em uma empresa nesse estágio costuma estar descorrelacionado da renda fixa e também da compra de ações. Assim, você pode variar o risco do portfólio, impedindo que seu dinheiro fique limitado a poucas condições.

Além disso, existe um potencial de ganho elevado. Há, por exemplo, as startups que se tornaram unicórnios — ou seja, atingiram, no mínimo, 1 bilhão de dólares de valor de mercado. Normalmente, elas são empreendimentos de tecnologia e esse movimento ocorre antes que haja a abertura do capital na Bolsa.

Nesse contexto, investir em unicórnios desde o começo de suas jornadas permite aproveitar um eventual ciclo de crescimento e valorização. Se esse crescimento se concretizar, é possível ter um retorno mais elevado.

Ademais, quem investe em empresas desse modo tem a chance de participar diretamente do negócio. Assim, há como influenciar decisões da empresa e as perspectivas de desenvolvimento, por exemplo.

Ao mesmo tempo, é preciso considerar que os riscos do investimento são mais altos. Como os empreendimentos que recebem aportes no venture capital ainda não estão consolidados, eles oferecem riscos maiores.

O principal deles é o risco de mercado, já que as condições do mercado podem afetar o potencial de desenvolvimento do negócio, por exemplo. Ainda, há o risco de liquidez. Isso porque é comum que não seja possível resgatar o investimento a qualquer tempo, dificultando o acesso aos seus recursos antes do prazo previsto. 

Como investir em venture capital?

Até aqui, você teve uma ideia geral sobre o que significa investir em venture capital. Caso você tenha interesse nessa modalidade, é o momento de saber como realizar os aportes.

Para começar, verifique o seu perfil de investidor e os seus objetivos financeiros. É necessário ter um nível de tolerância ao risco mais elevado, já que o investimento pode ser mais arriscado que a alocação em ações, por exemplo.

Além disso, é preciso que seus objetivos estejam alinhados ao longo prazo. Desse modo, há como manter os recursos investidos pelo tempo necessário.

Em seguida, é o momento de buscar oportunidades para investir. No venture capital, você pode fazer aportes diretos, como investidor-anjo ou recorrer a aceleradoras de startups, por exemplo.

Também é possível alocar os recursos via fundos de investimento em participação (FIP) ou outros fundos de venture capital. Assim, você pode aproveitar a praticidade de contar com uma gestão profissional.

Além disso, as oportunidades não se limitam ao Brasil. Nos Estados Unidos, existem milhares de pequenas empresas iniciantes com alto potencial de crescimento. Logo, você pode ampliar a diversificação e dolarizar a carteira. 

Para tanto, basta abrir uma conta de investimentos em uma instituição dos EUA para movimentar os recursos e aproveitar as oportunidades disponíveis no mercado americano.

Neste artigo você descobriu o que é o venture capital e como ele funciona. Considerando as características gerais, você tem mais informações para analisar se vale a pena fazer o investimento. Ainda, é possível considerar o investimento nos Estados Unidos, trazendo exposição internacional para o seu portfólio.


Serviços intermediados por FRAM Capital DTVM S.A.

O conteúdo disponibilizado neste artigo não constitui ou deve ser considerado como conselho, recomendação, oferta ou solicitação de quaisquer produtos ou serviços pela Nomad. Este material tem caráter exclusivamente informativo. Para saber mais, acesse https://nomadglobal.com/legal/


CONHEÇA NOSSAS MÍDIAS SOCIAIS


© 2022 NOMAD. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

Juntos com a Nomad

Synapse Drive Wealth logo ourinvest logo fram capital