Postado em 30 de maio, por NOMAD

Investimentos

O que é volatilidade e qual a sua relação com a Bolsa de Valores?

A Bolsa de Valores tem seu funcionamento atrelado ao comportamento dos investidores, que decidem comprar e vender ativos e derivativos. No entanto, existem situações em que esse equilíbrio de compra e venda é alterado — o que leva a um aumento de volatilidade.

Embora essa característica aumente os riscos financeiros, ela também pode trazer oportunidades. Por isso, é importante entender como a volatilidade funciona e como é possível aproveitá-la ao investir. 

Neste artigo, você compreenderá qual é a relação da volatilidade com a Bolsa de Valores e como investir considerando essa condição. Confira!

O que é a volatilidade?

A volatilidade, no âmbito do mercado financeiro, mede a intensidade e a frequência das oscilações nos preços de ativos e derivativos em um determinado período. Então, quanto maior ou mais frequente for a variação do preço, maior é a volatilidade observada.

Na prática, a volatilidade nos investimentos está relacionada à renda variável — e, em especial, à bolsa de valores. Nesse cenário, os riscos de curto prazo se tornam maiores, pois é mais difícil prever como o mercado se comportará.

Por que e como a volatilidade ocorre?

Você já sabe o que é volatilidade e como ela se relaciona com os investimentos. Agora, é interessante entender como ela acontece e quais motivos podem levar ao seu aumento.

Na prática, a volatilidade se consolida pela variação de preços de ações, cotas de fundos de investimento, derivativos e outros instrumentos financeiros e valores mobiliários. Assim, ela está presente tanto na B3 — a bolsa de valores brasileira — quanto em Bolsas internacionais, como na NYSE e a Nasdaq, nos Estados Unidos.

A ocorrência da volatilidade está associada a diversos fatores — tanto no mercado interno quanto no ambiente internacional. O risco é um desses fatores. Na prática, quanto mais arriscado é se expor a um mercado ou ativo, maior tende a ser a volatilidade envolvida. 

Contudo, existem outros motivos pelos quais um ativo, derivativo ou o mercado em si se torna mais ou menos volátil. Então é importante conhecê-los.  

A seguir, veja quais fatores podem interferir nessa medida!

Política e Economia

As questões políticas e econômicas têm grande influência no comportamento dos mercados e no nível de volatilidade. A realização de eleições nacionais é um evento que costuma afetar o cenário brasileiro, por exemplo, pois há mais incertezas sobre o rumo do país.

Internacionalmente isso também acontece. Um gatilho que costuma gerar volatilidade no mercado norte-americano, por exemplo, são eventuais mudanças nas taxas de juros da economia dos Estados Unidos.

Questões setoriais

A volatilidade do mercado também pode aumentar diante de decisões ou acontecimentos relacionados a uma indústria ou um setor. Se um acontecimento afeta um segmento econômico específico, as ações daquele setor tendem a ficar mais voláteis.

Um exemplo é a guerra entre a Rússia e a Ucrânia e os impactos no segmento de petróleo e de outras commodities. Com o aumento da incerteza global e a elevação dos preços desses produtos, as ações de empresas relacionadas a eles também se tornaram mais voláteis.

Crises generalizadas

Outro cenário que afeta a volatilidade é a consolidação de uma crise generalizada, já que diversos mercados tendem a ser envolvidos. Em 2008, por exemplo, a queda dos índices das Bolsas americanas afetou o ambiente global, gerando uma crise econômica e elevando a volatilidade em boa parte das Bolsas mundiais.

Em 2020, a declaração de pandemia por parte da Organização Mundial de Saúde (OMS) causou temores em investidores de todo o mundo. Com isso, as Bolsas americanas, a Bolsa brasileira e diversos outros mercados sofreram grandes flutuações nos preços dos ativos. Logo, a volatilidade aumentou.

Como investir diante da volatilidade do mercado?

Como você viu, o aumento da volatilidade nos mercados também eleva os riscos. Porém, o potencial de ganhos se torna maior devido à relação entre risco e retorno. Afinal, você estará mais exposto aos riscos, mas tem melhores chances de ter melhores rendimentos a partir dessa decisão.

Além disso, em um cenário de alta volatilidade, é possível encontrar oportunidades que não existiriam diante de um movimento de equilíbrio — como você verá adiante. Sendo assim, pode ser interessante investir em um período volátil, com o objetivo de aproveitar possíveis condições desse movimento. 

A seguir, confira quais são os principais pontos de atenção para fazer aportes diante de instabilidades!

Identifique seu perfil de investidor

Antes de considerar qualquer investimento em um contexto de volatilidade, é essencial começar analisando seu perfil de investidor. Dependendo do seu nível de tolerância ao risco, você terá uma capacidade maior ou menor de se expor a essa condição.

Isso é importante para conseguir manter as operações, de acordo com a sua estratégia. Ainda, o alinhamento ao seu perfil permite que você fique mais confortável diante da volatilidade financeira.

Avalie seus objetivos financeiros

Caso seu perfil de investidor esteja alinhado à volatilidade, é necessário identificar suas metas para definir o que faz mais sentido ao atuar no mercado. Se o seu objetivo for de longo prazo, por exemplo, é possível aproveitar um cenário volátil para encontrar oportunidades pontuais.

Pense no mercado de ações. Se o preço de um papel estiver passando por altas e baixas com maior frequência, existe a chance de aproveitar o momento em que ele seja negociado abaixo do que realmente vale. 

Nesse contexto, você pode adotar a estratégia de value investing, que é utilizada por Warren Buffett. No caso, a intenção é comprar uma ação que esteja descontada por uma distorção de mercado. Como a tendência é que o preço retorne ao valor justo, você pode aproveitar essa valorização.

Já se o seu objetivo for de curto ou curtíssimo prazo, pode fazer sentido especular. Nesse caso, a ideia é comprar e vender ativos ou derivativos em um curto período para obter lucro com a oscilação de preços.

Escolha o mercado no qual pretende atuar

Como você viu até aqui, a volatilidade é uma condição que afeta tanto o mercado brasileiro quanto o cenário internacional. Então, para investir diante dessas condições, há como aproveitar tanto a bolsa de valores brasileira quanto as Bolsas de outros países.

É o caso, por exemplo, de fazer investimento em uma Bolsa de Valores dos Estados Unidos. Nesse contexto, você pode explorar a volatilidade do mercado e, ao mesmo tempo, internacionalizar parte do seu portfólio — o que colabora com a diversificação da carteira. 

Para isso ser possível, é preciso ter conta americana em uma instituição regulamentada. Ao fazer a remessa de câmbio para essa conta, você terá o dinheiro disponível para investir na Bolsa dos Estados Unidos.

No entanto, antes de realizar as operações, é interessante estabelecer uma estratégia. Assim, há como definir quando vale a pena comprar ou vender ativos ou derivativos, definindo a melhor maneira de aproveitar a volatilidade — considerando suas necessidades pessoais e seus objetivos.

Neste artigo, você descobriu o que é a volatilidade e como ela se relaciona com a Bolsa de Valores — brasileira ou internacional. Na hora de operar em condições voláteis, considere suas características e sua estratégia para tomar decisões alinhadas ao que faz sentido para a sua realidade e seu perfil de investidor.


Serviços intermediados por FRAM Capital DTVM S.A.

O conteúdo disponibilizado neste artigo não constitui ou deve ser considerado como conselho, recomendação, oferta ou solicitação de quaisquer produtos ou serviços pela Nomad. Este material tem caráter exclusivamente informativo. Para saber mais, acesse https://nomadglobal.com/legal/


CONHEÇA NOSSAS MÍDIAS SOCIAIS


© 2022 NOMAD. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

Juntos com a Nomad

Synapse Drive Wealth logo ourinvest logo fram capital