Postado em 02 de junho, por NOMAD

Investimentos

Ray Dalio: os princípios que levaram o investidor ao sucesso

Fundador da Bridgewater Associates, Ray Dalio entrou no mundo das Bolsas desde cedo, descobrindo o que queria fazer com a sua vida profissional aos 12 anos. Desde então, foram vários acertos e alguns erros, mas que encaminharam o investidor a ser o principal gestor de hedge funds, gerenciando hoje cerca de US$ 154 bilhões.

Conhecido como o “Steve Jobs dos investimentos”, Ray Dalio implantou uma cultura única na sua empresa, visando a transparência máxima entre os funcionários e processos. Além disso, suas estratégias de aplicação viraram referência no mercado.

A risk parity (paridade de risco) se baseia no equilíbrio entre ativos que representam riscos com outros que irão equilibrar mais a carteira, levando-se em conta o nível de risco e retorno. A metodologia representa um tipo de investimento mais avançado, exigindo diversos cálculos.

Conheça a história do homem que ocupa a posição de 36º mais rico do mundo e um dos investidores mais seguidos.

A história de Ray Dalio

Nascido no Queens, em Nova York, em 1949, Raymond Thomas Dalio não tinha na família alguém ligado ao mercado financeiro, tendo um pai saxofonista e uma mãe dona de casa. Começou a trabalhar cedo, aos 12 anos, em um campo de golfe, como carregador.

Foi nesse momento que o seu interesse no mundo das ações cresceu. Ao escutar sobre o mercado de ativos que os golfistas falavam, ele viu uma grande oportunidade de aumentar os seus ganhos. Junto com o salário e gorjetas que recebia, ele pegou US$ 300 e fez seu primeiro investimento, aplicando na Northeast Airlines.

Pelo aporte na companhia aérea, Ray viu seus US$ 300 triplicarem em um curto espaço de tempo. A partir desse momento, ele percebeu uma grande oportunidade de aumentar seus ganhos e também uma área para seguir carreira. 

Decidido a atuar na área, começou a estudar finanças na Long Island University e acabou emendando um MBA em Harvard. Entre a graduação e o MBA, Dalio trabalhou na New York Stock Exchange (NYSE) e também na Dominick & Dickerman LLC, nesta última como diretor de commodities.

Ele seguiu para a Shearson Hayden Stone, atuando como broker e trader de futuros, principalmente na área de commodities. Esse foi um dos períodos decisivos de sua história, pois ele foi demitido da posição por um comportamento inadequado. Mesmo assim, sua fama como um ótimo trader já circulava no mercado.  

Com 26 anos, ele começa a trabalhar como consultor independente e, assim, os primeiros passos para a Bridgewater Associates são dados.

Bridgewater Associates

Em 1975, já com alguns clientes que realizavam consultoria, ele abre a Bridgewater Associates, junto com um sócio. Além de realizar toda a análise de riscos para os seus clientes, começou a escrever uma newsletter, explicando de forma objetiva sobre os fatos que influenciavam a economia.

Isso só o ajudou a atrair mais pessoas para a gestora, entre eles o McDonald’s, que passa a fazer parte da sua carteira de clientes. Dalio foi um dos responsáveis por ajudar a marca de fast food a fixar o preço do frango – que tinha alta volatilidade no período -, ao atuar junto aos produtores de aves e relacionando os valores a serem cobrados com o preço dos grãos para a criação. Isso foi essencial para a criação dos famosos nuggets.

Com o crescimento contínuo da base, a Bridgewater Associates começa a focar em moedas e taxas de juros nas suas indicações de consultoria de patrimônio. Suas análises sobre a economia e investimentos ficavam mais profundas e ele começa a montar suas famosas teorias sobre os momentos cíclicos que o mercado passava.

Com base nos seus estudos, ele conseguia identificar as faíscas que impulsionavam as altas e baixas nas Bolsas, prevendo, assim, os melhores momentos para aproveitar ótimas oportunidades de investimento. Um dos marcos que funcionava como gatilho era o aumento da taxa de endividamento.

Os erros de Dalio

Uma crise bancária iminente entra no radar de Dalio com o calote do México, em 1982. Sua confiança numa possível recessão era tanta que ele chegou a dar entrevistas na TV e até para falar no Congresso Americano. E é nesse momento que ele investe o caixa da Bridgewater para ganhar com a crise.

Mas a quebra nunca aconteceu. Pelo contrário, o mercado passou por um crescimento de 18 anos. Nesse momento, Bridgewater e Ray Dalio passam por dificuldades, perdendo clientes e dinheiro. Como ele próprio definiu, sua arrogância o atrapalhou e traiu. 

Aprendendo com o erro, Ray Dalio começa a implantar um novo modelo na Bridgewater, com princípios definidos para o gerenciamento e para a sua própria vida. O que quase custou a sua carreira e empresa também foi um incentivador para o crescimento e para reversão da situação.

Mas outro momento foi definitivo para mudar a sua posição como gestor e pessoa. Em 1993, depois de passarem pelas maiores turbulências da crise que não ocorreu, Dalio foi chamado pelos executivos da Bridgewater Associates para uma conversa sobre a sua postura como gestor. 

Entre tantos aspectos positivos, como a inovação e energia para o gerenciamento do negócio, sua postura com os funcionários provocava diversos atritos dentro da Bridgewater, onde ele tinha atitudes de menosprezar o time. Isso impactava toda a empresa, com pessoas desmotivadas e diminuindo a produtividade.

Nesse momento, Dalio percebeu que não bastava ser só um ótimo gestor na parte das finanças, mas deveria também aplicar um aprimoramento das suas relações interpessoais. Uma mudança em sua postura era essencial para o crescimento da companhia.

Os princípios que ele havia começado a escrever nos anos 1980 ganham novos capítulos, nesse momento. Entre tantos pontos, a humildade e transparência se tornaram bases para a cultura da Bridgewater. O livro Princípios, publicado em 2011, foi um sucesso de venda, trazendo 277 pontos implantados na companhia e na sua carreira. Um dos mais polêmicos é a gravação de todas as reuniões e conversas.

Alguns anos depois, ele também lança o livro Princípios para o Sucesso, com dicas sobre metas, colaboração e estratégias que o levaram a alcançar o sucesso. Mais uma publicação que colocou o investidor entre os best sellers.

Ao mesmo tempo que a cultura implantada foi um sucesso, ela também gerava atritos e trazia certa polêmica para a companhia, e até preocupação de alguns dos clientes, como a Universidade da Califórnia. Em 2017, ele decide deixar a gestão da Bridgewater, com a companhia sofrendo mudanças de gerenciamento.

A revolução de Dalio no mercado

A forma de gerenciar os ativos trouxe para Dalio fama e se revelou muito positiva, com raros anos de retornos negativos aos clientes da Bridgewater Associates. A observação dos ciclos da economia foi um dos pontos que trouxe destaque para a empresa e foi essencial para aumentar a base de clientes da nos anos 1970. 

A paridade de risco trouxe uma revolução para os negócios com o equilíbrio entre os ativos das carteiras, deixando todas as classes de investimentos balanceadas para o mesmo nível de risco.

Assim, por exemplo, ações e renda fixa se contrabalanceiam numa carteira, já que um apresenta mais segurança que o outro e você não fica totalmente exposto a grandes variações. 

Uma das formas que Dalio utiliza para balancear fundos hedge com a paridade de riscos está na alocação em ações, títulos de longo e curto prazo, ouro e commodities. As porcentagens se dividem de maneiras diferentes, ficando as maiores partes com ações e títulos de longo prazo. 

A estratégia vem se mostrando eficiente, inclusive em períodos de crise. Nos anos 2000, a Bridgewater consegue o título de maior gestora de fundos hedge do mundo, chegando a gerenciar cerca de US$ 154 bilhões, atualmente.

Ensinamentos e frases de Ray Dalio

  • Seguir bons princípios é uma forma eficiente de lidar com a realidade.
  • Maturidade é a capacidade de abrir mão de boas oportunidades para ir atrás de oportunidades ainda melhores.
  • Quase sempre existe um bom caminho que você ainda não descobriu. Procure até encontrar, em vez de se contentar com a escolha que está diante dos seus olhos no momento.
  • Aquele que vive pela bola de cristal, comerá caco de vidro.
  • Dar ouvidos a pessoas desinformadas é pior do que não ter resposta alguma.

O estilo Ray Dalio

O estilo de investir de Ray Dalio tem oito pontos base que se destacam, conforme você confere a seguir para se inspirar.

Descubra-se

É preciso conhecer os seus limites, fazer análises com dados, estudar o mercado e procurar os próprios resultados. Você tem mais chances de fazer escolhas acertadas quando tem uma base sólida e conhece o caminho que está percorrendo.

Erre

Ray Dalio errou algumas vezes na sua carreira e teve grandes perdas com isso. Mas os erros foram essenciais para a evolução do investidor e para o sucesso da companhia. Não veja só o lado negativo de uma situação. Aprenda como contornar e quais foram as lições que ficaram.

Honestidade sempre

Na Bridgewater Associates, após o feedback dos seus parceiros de empresa, Dalio precisou mudar seu comportamento com os demais funcionários. Nesse momento, a honestidade passou a ser uma base entre todos os setores.

Confirme suas ideias

Não se esqueça que você não está sozinho e pode contar com a ajuda de especialistas que estudam a mesma área. Com os erros que cometeu, Dalio passou a se apoiar em pessoas que poderiam confrontar as suas teses ou, até mesmo, confirmá-las.

Crie oportunidades

Nos momentos mais complicados, podemos ter as melhores oportunidades para inovação e crescimento. Muitos investidores aproveitam épocas de crise, mesmo com as quedas dos próprios investimentos, para continuar a comprar mais. Mas não se esqueça: seja realista. Saiba onde está investindo e conheça suas capacidades.

Escute e esteja aberto

Ray Dalio aprendeu com os seus piores erros que não estava sempre certo. A humildade foi um aprendizado para o investidor, que mudou a sua visão diante do mundo e da Bridgewater. Escute quem está junto com você e esteja aberto a mudanças. 

Diversifique

Por meio da paridade de riscos, Ray Dalio consegue proteger os fundos hedge que administra e diminui os riscos em grandes crises. Evite colocar todo o seu capital em único tipo de ativo, adicionando variedade na carteira, inclusive alguns investimentos que possam trazer certa estabilidade às variações, como de renda fixa.

Seja solidário

Em 2002, criou a Dalio Family Foundation, inicialmente com US$ 11 milhões, valor que hoje já passa de US$ 1 bilhão de doações. Também se juntou ao movimento de Bill e Melinda Gates, ao anunciar que doaria metade da sua fortuna. 

Ray Dalio também faz doações para a Fundação David Lynch e, junto com um dos filhos, fundaram a OceanX, para exploração e estudo dos oceanos.

Fontes: InfoMoney, Suno, Investidor Sardinha


CONHEÇA NOSSAS MÍDIAS SOCIAIS


© 2022 NOMAD. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

Juntos com a Nomad

Drive Wealth logo ourinvest logo fram capital