UM APP COMPLETO PARA VOCê

Postado em 06 de dezembro, por NOMAD

Investimentos

Tesouro direto – Um guia dos títulos do tesouro dos EUA e Brasil

Considerado a principal alternativa à poupança pelos investidores, o tesouro direto é um dos investimentos mais populares do Brasil. Ele foi desenvolvido pelo Tesouro Nacional em 2002, em parceria com a antiga BM&F Bovespa (atual B3), para venda de títulos públicos federais para pessoas físicas, de forma simples, fácil e, principalmente, 100% online.

Com o objetivo de democratizar o acesso aos títulos públicos, permitindo aplicações a partir de R$ 30,00, o tesouro direto oferece boa rentabilidade e liquidez diária, mesmo sendo a aplicação de menor risco de crédito do mercado. Todas as suas aplicações no tesouro direto são 100% garantidas pelo Tesouro Nacional.

O que é tesouro direto?

O investimento em tesouro direto é considerado uma excelente opção, pois oferece títulos com diferentes tipos de rentabilidade (Prefixados, Tesouro IPCA+, Tesouro SELIC, entre outros), com prazos de vencimento e fluxos de remuneração de diversas formas, deixando mais simples achar o título adequado para os objetivos dos investidores.

Quais são os tipos de investimentos em tesouro direto?

Os títulos públicos são uma forma dos governos captarem dinheiro para financiar os serviços e obras públicas, como por exemplo, para as áreas da saúde, educação e infraestrutura. Ao investir no tesouro direto, você está emprestando dinheiro ao governo e ele vai te pagar juros sobre o valor investido durante o tempo da aplicação.

O tesouro direto é dividido em duas grandes categorias, os prefixados e os pós-fixados. E dentro dessa classificação, estão agrupados cinco tipos de tesouro direto. Confira a lista dos tipos de títulos públicos disponíveis para você.

Títulos Prefixados

São aqueles que têm taxa de juros fixa, ou seja, você já sabe o percentual de remuneração que o título vai pagar no momento do investimento. Pode ser o ideal para quem quer saber exatamente o valor que receberá ao final da aplicação, no vencimento do título. O tesouro direto prefixado é dividido em dois tipos:

  • A Letra do Tesouro Nacional, também conhecida como LTN, que, caso mantida até o vencimento, o investidor receberá R$ 1.000 para cada unidade do papel (ou o proporcional de acordo com a fração contratada do título);
  • A Nota do Tesouro Nacional Série F, também chamada de NTN-F, cujo diferencial é o pagamento semestral dos juros referentes a esse título. O pagamento do principal (dinheiro investido inicialmente) ocorre no vencimento do título em uma única parcela. Esse título também é conhecido como tesouro prefixado com juros semestrais.

Títulos Pós-fixados

São aqueles que possuem rentabilidade atrelada à variação de determinados índices (IPCA) ou taxas (SELIC), portanto, o investidor não sabe exatamente qual vai ser a remuneração final da aplicação no momento do vencimento do título. O tesouro direto pós-fixado é dividido nos seguintes :

  • Tesouro IPCA+, que também é chamado de NTN-B Principal, cuja rentabilidade está atrelada à inflação, medida pela variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA. Nesse caso, esses títulos oferecem rendimento igual à variação da inflação acrescido de uma taxa prefixada de juros. 
  • Tesouro IPCA+ com juros semestrais, denominado de NTN-B, que também possui rendimento vinculado à inflação, acrescido  de um valor prefixado. Porém, como o próprio nome sugere, o diferencial é pagar a rentabilidade a cada seis meses.
  • Tesouro Selic, também conhecido como LFT, são os títulos pós-fixados que possuem rentabilidade atrelada à Taxa Selic. A Taxa Selic é a taxa básica de juros da economia. É considerado o investimento para o curto prazo, uma vez que o investidor pode retirar o dinheiro investido antes do vencimento do título com o menor risco de perda de rentabilidade, diferentemente dos demais títulos públicos, onde a rentabilidade pode sofrer oscilações de acordo com o preço de mercado. 

Também existe o Tesouro IGPM+ com Juros Semestrais, denominado de NTN-C, que são os títulos com rentabilidade vinculada à variação do IGP-M, mais os juros definidos no momento da compra. No entanto, esses títulos não são mais oferecidos pelo Tesouro Direto desde 2006. Atualmente, o Tesouro Nacional atua apenas na recompra desses títulos.

Existe tesouro direto nos EUA?

Além do Brasil, diversos outros países também disponibilizam como uma alternativa de investimento em renda fixa um programa parecido com tesouro direto. No caso, o tesouro direto nos EUA é chamado de Treasury Direct (traduzido, é exatamente o mesmo nome do programa brasileiro).

Mas, diferente do Brasil, nos Estados Unidos a compra dos títulos de tesouro direto americano são feitas diretamente com o governo, sem a necessidade de intermediação de bancos ou corretoras, de forma a isentar os investidores de eventuais taxas que pudessem ser cobradas pelo serviço. 

Assim como no Brasil, os títulos do tesouro dos EUA são considerados ótima maneira de começar a investir e economizar para o futuro. Além disso, eles também são divididos em diversos tipos, com vencimentos e rentabilidades diferentes, o que facilita ao investidor a aquisição daquele que mais se adequa aos seus objetivos.

No tesouro direto americano, você encontrará, dentre outros, os seguintes tipos de títulos:

  • Treasury Bills: são títulos do governo de curto prazo com vencimentos que variam de alguns dias a 52 semanas. As contas são vendidas com um desconto em relação ao valor de face.
  • Treasury Notes: são títulos do governo emitidos com vencimentos de 2, 3, 5, 7 e 10 anos e pagam juros a cada seis meses.
  • Treasury Bonds: pagam juros semestralmente e têm vencimento em 20 ou 30 anos.
  • Treasury Inflation-Protected Securities (TIPS): são títulos negociáveis ​​cujo principal é ajustado pelas variações do Índice de Preços ao Consumidor (CPI – Consumer Price Index). Os TIPS pagam juros semestralmente e são emitidos com vencimentos de 5, 10 e 30 anos.

Vale a pena investir no tesouro direto dos EUA?

Os títulos do governo americano são considerados os mais seguros do mercado global, sendo certo que pessoas e empresas do mundo todo investem neles em razão de sua alta qualidade de crédito, inclusive outros países como o Brasil.

Isso porque, além de você estar emprestando dinheiro para a maior economia do mundo, você automaticamente está alocando seu investimento na principal moeda comercial do globo, o dólar.

Como investir no tesouro direto americano?

Como investidor brasileiro, a forma mais fácil e rápida para negociar os títulos públicos dos Estados Unidos é através da compra dos ETFs (Exchange-Traded Funds), que são os famosos fundos negociados em bolsa.

No mercado americano, os ETFs de renda fixa são muito comuns e existem de vários tipos, que investem em títulos de diferentes categorias e vencimentos, o que possibilita a composição de uma carteira diversificada de títulos emitidos por governos, sem ter a necessidade de comprá-los diretamente.

Conheça alguns dos principais ETFs de títulos públicos americanos:

  • SHV (iShares Short Treasury Bond ETF): investe em títulos prefixados com menos de 12 meses para o vencimento
  • IEI (iShares 3-7 Year Treasury Bond ETF): investe em títulos de médio prazo (3-7 anos para o vencimento)
  • TLT (iShares 20+ Year Treasury Bond ETF): investe em títulos públicos de longo prazo (mais de 20 anos para o vencimento)
  • GOVT (iShares U.S. Treasury Bond ETF): investe em títulos com vencimentos variados entre 1 a 30 anos.
  • TIP (iShares TIPS Bond ETF): investe em títulos públicos protegidos contra a inflação (TIPS) com pelo menos 1 ano restante de maturidade.
#

A NOMAD

873 El Camino Real, Menlo
Park, CA 94025 USA


CONHEÇA NOSSAS MÍDIAS SOCIAIS


© 2022 NOMAD. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

logo ourinvest